segunda-feira, 10 de junho de 2013

SANTA CRUZ PERDE DE VIRADA PARA O CRB

Em dois tempos distintos, o Santa Cruz perdeu uma grande chance de liderar isoladamente o grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro. O tricolor foi melhor durante grande parte do primeiro tempo, abriu o placar, desperdiçou outras boas chances mas despencou no segundo tempo. Os tricampeões pernambucanos caíram por 2x1 diante do CRB na noite deste domingo, no Rei Pelé, em Maceió.

Desde os primeiros minutos o Santa mostrou superioridade, apesar de marcar apenas da linha divisória do gramado para trás. Para isso também facilitou a deficiência do CRB, que insistia em atacar apenas pelo lado direito. Tiago Costa guardou posição e apesar da insistência de Paulo Sérgio e Tiago Potiguar, o goleiro Tiago Cardoso não sofreu apuros.

Quando teve a bola, o tricolor entrou espaço, principalmente seus volantes quando arriscavam uma descida ao ataque. A primeira oportunidade surgiu aos cinco minutos, quando Dênis Marques acertou um de seus mortais chutes com a parte interna do pé. A bola saiu do alcance de Júlio César e acertou a trave esquerda. No rebote, desequilibrado, ele mandou para fora.

A primeira estocada de um volante com liberdade veio apenas dois minutos depois. Dênis caiu pela esquerda e cruzou rasteiro. Luciano Sorriso entrou de carrinho e não tocou na bola por uma fração de segundo. Na próxima tentativa ele levaria a melhor, mas de em outro tipo de jogada. Alguns passos antes da entrada da área, o camisa 8 recebeu completamente livre. Ainda teve tempo para ajeitar e chutar forte, no canto baixo direito, aos 15 minutos.

O time alagoano só conseguiu criar alguma coisa pelos pés do meia Tiago Potiguar, de longe seu jogador mais qualificado. Aos 18 minutos, ele desceu pela direita e chutou cruzado. Seu xará com a camisa tricolor defendeu em dois tempos. Os corais responderam carimbando a trave direita. Desta vez com Júnior Xuxa, que fez boa jogada pela esquerda. Na conclusão, o camisa 11 poderia ter cruzado para o meio da área, já que estava praticamente sem ângulo.

Depois disso, o Santa afrouxou na marcação. Tozo e Luciano Sorriso ficaram quase na linha dos zagueiros e o time do CRB ganhou mais espaço perto da área. Por isso, seus jogadores passaram a arriscar mais de média distância. Numa delas, aos 31 Tiago Potiguar girou e mandou rasteiro. A bola passou bem perto da trave. Um minuto depois foi a vez de Carlão arriscar de longe. Mais uma que passou com perigo.

Para o segundo tempo, o CRB voltou com a marcação mais adiantada e variando o lado do campo. Com isso, conseguiu confundir um pouco a defesa tricolor e chegar mais perto da área. O calcanhar de aquiles dos donos da casa, no entanto, era a falta de alguém no mesmo nível de Tiago Potiguar. O camisa 10 driblava um tentava uma tabela, mas não havia sequência. A outra válvula de escape era o lateral-direito Paulo Sérgio nos cruzamentos. O problema é que não havia um especialista no jogo aéreo.

De seu lado, o Santa não conseguiu sair de trás, tanto que o atacante Flávio Caça Rato era mais volante que atacante. Júnior Xuxa também teve mais preocupação defensiva, passando a acompanhar as descidas de Paulo Sérgio. Com isso, Dênis Marques ficou praticamente isolado na frente. O artilheiro coral só conseguiu levar perigo num chute de longe, aos 12 minutos. O goleiro Júlio César espalmou.

A postura dos dois times deixou o jogo corrido mas com poucas finalizações. O Santa porque não conseguia coordenar o contra-ataque quando roubava a bola. O CRB porque pecava no passe final. E quando o fazia, faltava um homem de referência. Foi por isso que o técnico Márcio Goiano acionou Denílson no lugar de Carlão.

Com um jogador no meio dos zagueiros, a defesa coral precisou de mais atenção. Só que ela faltou aos 26 minutos. Numa tabela com Jairo, Zé Paulo chutou rasteiro. Tiago Cardoso deu rebote e Denílson apareceu para empurrar para dentro e deixar o placar igual. O mesmo Denílson teve uma grande chance de virar aos 31. Ele deixou Leandro Cardoso no chão e chutou de bico, no travessão.

O técnico Sandro Barbosa teve que reforçar a marcação com as saídas de Luciano Sorrido para entrada de Éverton Heleno e tentar acelerar o contra-ataque com Leozinho no posto do cansado Caça Rato. Coincidência ou não, aos 34, o tricolor teve o primeiro contra-golpe bem coordenado, porém inviabilizado pelo individualismo de Júnior Xuxa. Ele foi lançado por Raul, entrou na área mas demorou a dar sequência. Marcado por dois, terminou desarmado.

Na reta final do jogo, os apuros do Santa viraram desespero. O travessão voltou a salvar aos 42. Marcos Antônio bateu falta e Éverton Heleno, na tentativa de cortar, mandou na trave superior. No minuto seguinte não teve trave que salvasse. Depois de um bate-rebate, Tiago Potiguar chutou cruzado e Zé Paulo encostou o pé direito para decretar a virada alagoana.

Ficha do jogo:

CRB: Júlio César, Paulo Sérgio, Audálio, Marcos Vinícius e Djavan (Jairo); Johnattan, Everton Luiz, Marcos Antônio e Tiago Potiguar; Carlão (Denílson) e Schwenck (Zé Paulo). Técnico: Márcio Goiano.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Everton Sena, Renan Fonseca, Leandro Souza, Thiago Costa; Tozo, Luciano Sorriso (Éverton Heleno), Raul e Júnior Xuxa; Flávio Caça-rato (Leozinho) e e Dênis Marques (André Dias). Técnico: Sandro Barbosa.

Local: Estádio Rei Pelé, Maceió. Árbitro: Eduardo de Santana Nunes. Assistentes: João Carlos de Jesus e Vaneide Vieira de Góis. (Todos de Sergipe). Gols: Luciano Sorriso, aos 15 minutos do primeiro tempo. Denílson, aos 26 e Zé Paulo, aos 43 do segundo. Cartões amarelos: Tiago Costa, Júnior Xuxa, Leandro Souza e Tozo.

Fonte: Blog do Torcedor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...