quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Convite para Inauguração


A Prefeitura de Limoeiro, em nome do gestor executivo Thiago Cavalcanti, convida a todos os cidadãos a prestigiarem a solenidade de inauguração da Academia da Saúde Dr. Djalma Dutra de Barros, localizada na Cidade Alta. O evento será realizado no dia 31 de outubro, às 19h. Contamos com a presença de todos.

ERIVALDO CARVALHO - DIPML

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Aberta inscrições da Fenarte 2015


noticia inscricao fenearte 2015Atenção, empreendedores do setor artesanato. Começou, desde o dia 17 de outubro, o período de pré-inscrições para a 16º edição da Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), que acontecerá de 2 a 12 de julho de 2015, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.
As pré-inscrições se estendem até o dia 11 de novembro e podem ser feitas online no site www.fenearte.pe.gov.br ou fisicamente, no Centro de Artesanato, das 9h às 17h, de segunda a sexta feira. Para que a pré-inscrição seja realizada de forma presencial, é necessário que o artesão apresente um documento original com foto junto com imagens do seu produto artesanal em pen drive, CD ou DVD.
A última edição da Fenearte, que aconteceu em julho deste ano e teve como tema “Mamulengo, a arte da alegria”, contou com mais de 5 mil expositores de 40 países. O público chegou a 301 mil visitantes e a feira, que recebeu investimento de R$ 5 milhões, movimentou R$ 40 milhões em negócios.

Fonte: Site da COMANAS

João Campos descarta interesse por disputas eleitorais

João Campos:

João Campos: "Eu não preciso de nenhum cargo para fazer política"

Guga Matos/JC imagem

Mesmo depois de obter representação na composição da nova da Executiva estadual do PSB, o filho mais velho do ex-governador Eduardo Campos, João Campos, descartou a possibilidade de disputar algum cargo eletivo na eleição de 2016. Depois do engajamento público na campanha estadual, João passou a ser a aposta dos socialistas e é visto como o principal herdeiro político do ex-governador Eduardo Campos, que morreu em agosto. João foi incluído na composição da Executiva como secretário de organização. A escolha foi feita na noite de ontem.
Depois de ser ovacionado pelos militantes presentes na reunião, João Campos falou de unidade partidária e do cenário vivido pelo PSB após a eleição. Questionado sobre a possibilidade de disputar o próximo pleito municipal, o socialista negou. “Não faz parte de nenhuma pretensão pessoal, jamais, disputar nenhum cargo. Apenas eu sempre participei das discussões no partido. Na campanha, eu ainda mais de 50 municípios, fazendo campanha para as nossas lideranças e eu ia fazer independente de ter cargo ou não . Eu não preciso de nenhum cargo para fazer política nem ajudar nosso time”, disse o herdeiro de Eduardo.
João destacou que a seu foco, no momento, é realizar a função para o qual foi delegado. No discurso que fez para os socialistas, o jovem citou o ex-governador Eduardo Campos e Miguel Arraes, seu bisavô. “Estamos aqui para fortalecer a luta de Eduardo. É um erro dizer que o legado desse partido é de uma família. É um legado do povo de Pernambuco”, disse.
No ano passado, o nome do socialista foi ventilado para disputar uma vaga na Câmara Federal, já que havia uma discussão sobre quem herdaria o espólio político da ex-deputada Ana Arraes, que assumiu uma vaga no Tribunal de Contas da União. As negociações não foram adiante porque Eduardo Campos queria evitar polêmicas de que estaria impondo o nome do filho, já que seria candidato à Presidência da República. Também foi levado em consideração o fato de João Campos não ter concluído o curso na universidade.
Além de João Campos, Isaltino Nascimento e Aldo Santos também integram a nova Executiva como secretários de Articulação Social e Política Agrária, respectivamente. O presidente continua sendo Sileno Guedes. A vice ficou com Tadeu Alencar e a secretaria-geral com Adilson Gomes. Os deputados eleitos ocupam obrigatoriamente cargos no colegiado. Sileno destacou que o grande desafio dos próximos anos será manter a unidade partidária e garantir o crescimento da legenda.

FONTE: JC ONLINE

OAB-PE pede investigação de mensagens preconceituosas

Segundo o presidente da OAB-PE, Pedro Henrique Alves, a iniciativa tomada pela instituição possui natureza pedagógica / Foto: JC Imagem

Segundo o presidente da OAB-PE, Pedro Henrique Alves, a iniciativa tomada pela instituição possui natureza pedagógica

Foto: JC Imagem

A Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE) irá protocolar, hoje, um pedido de instauração de notícia-crime na 1ª instância do Ministério Público Federal para que sejam apurados os casos de incitação ao preconceito disseminados nas redes sociais contra os eleitores nordestinos. Os responsáveis pelas publicações podem ser condenados a até três anos de reclusão.
A vitória da presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno, com um alto percentual de votos na região Norte e Nordeste do País, gerou uma onda de manifestações preconceituosas no Facebook e no Twitter. Um dos mau exemplos é o da internauta Regina Zouki que publicou: “desejo do fundo do coração que (os nordestinos) sejam tomados pela desnutrição, que seus bebês nasçam acéfalos, que suas crianças tenham doenças que os médicos cubanos não consigam tratar, que o Ebola chegue no Brasil pelo Nordeste e que mate a todos!”. Após receber diversas críticas, Regina excluiu o seu perfil da rede social.
Segundo o presidente da OAB-PE, Pedro Henrique Alves, a iniciativa tomada pela instituição possui natureza pedagógica. “O nosso desafio é saber divisar entre a liberdade de expressão e o limite do direito. Lamentavelmente a situação já era esperada, porque ocorre com frenquência”, disse. “As pessoas precisam saber que os atos têm consequências”, ressaltou. 
De acordo com o requerimento da entidade, o crime de “incitação ao preconceito” está previsto no artigo 20 da Lei número 7.716/89, que pode ser caracterizada pelo preconceito contra “procedência nacional”. 
“Essa lei possui um agravante para o caso do crime ter sido cometido em redes sociais. Você pode incitar cinco pessoas em uma sala de reunião ou cinco milhões na rede”, explicou Pedro Henrique. 
A notícia-crime será distribuída para um dos procuradores do MPF que avaliará o pedido da OAB. A Polícia Federal poderá colaborar com a investigação dos suspeitos.

FONTE: JC ONLINE

Prefeitura ameniza falta d'água dos condomínios em Lagoa Azul


A Prefeitura de Limoeiro se mobilizou em prol dos moradores dos condomínios José Humberto de Moura Cavalcanti e Pe. Luis Checcin, Zona Sul da cidade. Os condôminos estavam sofrendo por falta de abastecimento de água, mesmo sendo de responsabilidade da Compesa de fornecer o líquido para a comunidade, a Prefeitura realizou a perfuração de um poço artesiano.

A ação teve investimento de mais de R$ 14 mil, e garantiu a vazão de 5 mil litros d’água/hora, beneficiando assim mais de 300 famílias, livrando-as da falta de abastecimento de água. “Se fossemos esperar pela Compesa só Deus sabe quando essa água iria chegar. A gestão municipal está de parabéns por não ter esquecido da gente, que mora tão longe do centro”, agradeceu Felipe Galvão, morador do loteamento.
Todo o investimento, que vem sendo realizado pela atual gestão, é o reflexo do compromisso e o cuidado com as comunidades. As secretarias têm acompanhado e monitorado as necessidades de forma aberta, estabelecendo o diálogo como objetivo diário entre gestão e os cidadãos limoeirenses.

ERIVALDO CARVALHO - DIPML

Loteamentos recebem obras paliativas

Até pouco tempo, atividades triviais, como a entrega de compras de supermercado, eram uma dor de cabeça para os moradores do loteamento Parque Capibaribe. Localizado em uma região distante e sem qualquer tipo de pavimentação, o trânsito no local se tornava um verdadeiro desafio, especialmente em dias de chuva.
Esta realidade mudando. Foram realizadas obras de planeamento e piçarramento das ruas do loteamento, além da troca de diversas lâmpadas garantindo mais segurança e uma melhor locomoção para os moradores. Para a residente Raimunda Francisca esta era uma obra aguardada pela população, já que havia muita dificuldade de locomoção. “Se até para uma ambulância ou uma viatura do Corpo de Bombeiros o acesso era difícil, imagine para uma pessoa de idade, principalmente em dias de chuva”, destacou a moradora.
O bairro da Cohab está ficando de cara nova e irá melhorar a circulação de veículos e pedestres, além de criar locais mais saudáveis e valorizados. “Estamos acelerando cada vez mais os investimentos em melhoria da qualidade de vida da população. E um dos principais eixos desse avanço está sendo dado em obras de pavimentação de ruas em nossa cidade.” reforça o secretário de Infraestrutura, Artur Filho.

ERIVALDO CARVALHO - DIPML

Tadeu e Humberto acenam para retorno da aliança PT-PSB



Do JC Online

Humberto Costa afirmou que está satisfeito com a possibilidade de diálogo / Foto: Agência Senado/Divulgação

Humberto Costa afirmou que está satisfeito com a possibilidade de diálogo

Foto: Agência Senado/Divulgação

O deputado federal eleito do PSB, Tadeu Alencar, ex-secretário do governo Eduardo Campos e integrante da Executiva estadual do partido, deu sinais de que a legenda pode se reaproximar do PT. Em entrevista à Rádio Jornal, na manhã dessa terça-feira (28), o socialista afirmou que a aliança com o PSDB no segundo turno, em apoio ao candidato Aécio Neves, foi circunstancial e que o PSB deverá buscar, no Congresso Nacional, alianças com legendas que tenham as mesmas bandeiras que as suas.
“Vamos continuar onde sempre estivemos, defendendo a democracia, uma agenda de reformas, a população. Qualquer agremiação partidária que por ventura tiver convergência nesses pontos, nós teremos tranquilidade de estarmos juntos”, disse Alencar. “Vamos ter uma pauta muito intensa no Congresso e é essa pauta que vai definir ao lado de quem vamos estar”, acrescentou.
Em outro trecho, o ex-secretário afirma que, apesar da aliança no segundo turno, o PSB não está automaticamente ligado ao PSDB. “Não há, a priori, nenhum posicionamento de alinhamento automático com os partidos que estão na oposição, porque o nosso projeto era de fazer uma grande mudança com a eleição de Eduardo Campos. E, não tendo sido possível, nem com Marina, cumprimos o papel de apoiar aqui o projeto que pretendia fazer a renovação que o Brasil pede”, completou.
Também na Rádio Jornal, o senador Humberto Costa, líder do PT no Senado, recebeu bem a notícia de que o PSB está sem posicionamento definido e que há possibilidade de ser reintegrado à base do PT. “Acho que é uma boa colocação. Eu pessoalmente fico satisfeito com a possibilidade de nós podermos dialogar", afirmou o senador. Questionado se já havia uma sinalização de aproximação entre as duas legendas, o senador valorizou a abertura dos socialistas para o debate. “Acho relevante que o PSB condicione seu posicionamento em relação ao Congresso Nacional, em relação à sociedade, a um debate de ideias, de propostas. O governo e o PT têm interesse de ouvir e discutir propostas”, disse.
Humberto afirmou, ainda, que os dois partidos sempre atuaram em campos convergentes. “O PSB historicamente sempre teve uma posição de esquerda, sempre defendeu um projeto popular. E eu encaro que esse posicionamento agora no segundo turno foi alguma coisa excepcional, uma exceção nos posicionamentos no PSB”, completou.
DIVISÃO
O PSB já deu início ao processo de avaliação para decidir a postura que terá no novo cenário político. Ontem, o prefeito Geraldo Julio (PSB) se reuniu, em Brasília, com o presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, e com o deputado federal Beto Albuquerque - que disputou a vice-presidência com Marina Silva - para avaliar o caso. 
Segundo ele, o indicativo é de que a legenda fique numa posição de independência, assim como ocorreu fez quando anunciou a saída do governo federal no ano passado - com a entrega dos ministérios que comanda. “Só foi um dia de conversa e não falamos com muitas pessoas, mas a indicação é aquela que tomamos quando saímos do governo, de ter liberdade para discutir assuntos de interesse do Brasil”, disse. Uma reunião oficial entre os membros do PSB está prevista para a próxima semana.

FONTE: JC ONLINE

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Juá realiza amistoso com o Central sub 15 sub 17

Nesta quarta-feira a bola vai rolar em Limoeiro. o Central de Caruaru joga contra a equipe do Juá Sport Club nas categorias sub 15 e sub 17 no Estádio José Vareda a partir das 14h

O diretor de esportes do Centro Limoeirense o senhor Geraldo Herminio cedeu o estádio José Vareda nesta quarta-feira para que a equipe do JUA, que esta participando do Pernambucano sub 15 e sub 17 fazer este jogo amistoso visando o próximo compromisso pelo certame. 

Informações de Flávio Hermínio

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Nas redes sociais, nordestinos rebatem preconceito com crise hídrica em São Paulo

 / Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Após o resultado do segundo turno das Eleições 2014, que deu a vitória à candidata do PT, Dilma Rousseff, muitos usuários das redes sociais dispararam insultos racistas e xenófobos contra os nordestinos, região onde a petista recebeu a maioria dos votos. Mensagens como a de Mayara Petruso, que em 2010 publicou em sua conta no microblog Twitter mensagens de ódio aos nordestinos, circularam novamente pela internet.
A reação dos internautas nordestinos veio com outras atitudes preconceituosas. A crise hídrica que atinge o Estado de São Paulo foi o mote para mensagens e insultos irônicos contra os paulistas. Mensagens mandando os eleitores tucanos chorarem na Reserva Cantareira e ironizando o fato de São Paulo passar pela pior crise de falta d'água da história foram desferidas por pessoas de todo o País, mas principalmente do Nordeste. Confira alguns exemplos:
Mau exemplo
O preconceito contra os nordestinos foi reforçado até por pessoas que deveriam dar o exemplo à população. O ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso chegou a afirmar em entrevista que o resultado do pleito no segundo turno viria dos eleitores "desinformados" e deu a entender que esses eleitores estariam no Nordeste. O depoimento de FHC causou indignação de muitos políticos, entre eles o ex-presidente Lula. 
Outro exemplo veio do Coronel Telhada, deputado eleito pelo PSDB em São Paulo, que chegou a pedir pela independência da região em sua conta no Facebook. "Já que o Brasil fez sua escolha pelo PT entendo que o Sul e Sudeste (exceto Minas Gerais e Rio de Janeiro que optaram pelo PT) iniciem o processo de independência de um país que prefere esmola do que o trabalho, preferem a desordem ao invés da ordem, preferem o voto de cabresto do que a liberdade", afirmou.

FONTE: JC ONLINE

Vereador do PSDB quer a separação do Sul e Sudeste do resto do Brasil

Alvaro Magalhães, do R7
Post em página de Paulo Telhada (PSDB)Reprodução/Facebook
Após a vitória de Dilma Rousseff, um texto postado na página pessoal do vereador por São Paulo Coronel Paulo Telhada (PSDB) pede “um São Paulo livre da corrupção e do PT”.
Ex-comandante da Rota, Telhada foi o segundo deputado estadual mais votado nestas eleições e assumirá uma cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo a partir de janeiro.
“Já que o Brasil fez sua escolha pelo PT entendo que o Sul e Sudeste (exceto Minas Gerais e Rio de Janeiro que optaram pelo PT) iniciem o processo de independência de um país que prefere esmola do que o trabalho, preferem a desordem ao invés da ordem, preferem o voto de cabresto do que a liberdade”, afirma o vereador.
“Porque devemos nos submeter a esse governo escolhido pelo norte e Nordeste?? Eles que paguem o preço sozinhos...”
Abaixo do texto, foi postado um dos cartazes que chamavam os paulistas para lutar na Revolução de 1932, levante que contestava o governo de Getúlio Vargas.
Em uma hora, o texto teve 8.414 curtidas e 4.832 compartilhamentos.
R7 tentou contato, por telefone e e-mail, com o gabinete do vereador na noite deste domingo (26) para confirmar a autenticidade do texto.

FONTE: R7

Mais um caso de preconceito contra nordestinos no Twitter


Lamentavelmente, as pessoas insistem em querer dividir o país. Hoje, no Twitter, uma estudante de publicidade, de nome Karine Melchior, usou sua conta na rede social para destilar preconceito  contra os nordestinos. A jovem se diz residir em São Paulo.




Provavelmente revoltada com a reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT), que foi a mais votada nos nove estados nordestinos, a estudante destila ódio e preconceito no  Twitter, chamando os nordestinos de povo chato, vagabundo, ignorante, analfabeto e sem educação. Além do preconceito regional, ela mostra também preconceito racial,  já que por muitas vezes, dizem que os nordestinos são "pretos e bandidos".

Lamentável a atitude de uma pessoa que se diz esclarecida. O Brasil é Nordeste, é Norte, é Sul, é Sudeste, é Centro-Oeste. O Brasil é um conjunto. Essa estudante (será que pode chamá-la assim?) ignora que a cidade dela, a amada São Paulo, grande parte do que é hoje se deve ao povo do Nordeste, que ajudou a capital bandeirante a crescer como nunca.

Dilma é reeleita

 / Foto: AFP

Foto: AFP

Atualizada às 21h40
Em uma eleição emocionante e uma apuração mais emocionante ainda, a petista Dilma Rousseff foi eleita, neste domingo (26), para comandar o Brasil por mais quatro anos. Com 99,99% das urnas apuradas, a petista tinha 51,64% dos votos válidos (54.497.615 de votos), contra 48,36% de Aécio Neves (PSDB), o que totaliza 51.038.023 de votos.
A emoção ficou pelo fato de a apuração ter começado às 17h de Brasília (16h do Recife), mas o resultado só começou a ser divulgado às 20h de Brasília (19h do Recife). Tudo pelo fato de o Acre, na Região Norte, estar em um horário diferente do de Brasília. Quando o relógio marcava 20h no Distrito Federal, eram 17h no Acre. A apuraçao só pode começar a ser divulgada quando a votação é encerrada em todos os locais do País. Já no exterior, muita gente ainda votava quando o resultado já era conhecido.
Quando o resultado das urnas começou a ser divulgado, 95% das urnas do Brasil já tinham sido apuradas. A diferença era de quase dois milhões de voto, o que ainda não permitia que Dilma fosse declarada vencedora. Como, entretanto, ainda faltava apurar algumas urnas no Nordeste, reduto onde Dilma tem grande maioria de eleitores, a vitória petista começou a se consolidar.
O Nordeste, aliás, foi um capítulo a parte nessas eleições. Em Pernambuco, a petista teve mais de 70% dos votos válidos, contra 29% para Aécio, mesmo com o tucano sendo apoiado no Estado por Paulo Câmara e Geraldo Julio, ambos líderes políticos do PSB após a morte do ex-governador Eduardo Campos.

Essa foi uma das eleições mais apertadas da história, para presidente do Brasil. Pesquisas de boca de urna davam favotirismo a Dilma, mas ainda existia a possibilidade de uma reviravolta de Aécio, como aconteceu no primeiro turno (Marina figurava na frente de Aécio, mas acabou sofrendo a virada). Quando o resultado parcial foi divulgado, às 19h do Recife, a diferença era de 1,9 milhão de votos e faltavam mais de sete milhões de votos serem apurados, o que aumentou ainda mais o suspense.

FONTE: JC ONLINE

sábado, 25 de outubro de 2014

Dilma e Aécio disputam votos de Marina em Pernambuco


 / Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

No Estado natal de Eduardo Campos, morto em uma tragédia aérea em agosto, Dilma Rousseff e Aécio Neves farão um dos duelos com resultados dos mais imprevisíveis do segundo turno em todo o País. Em Pernambuco, a candidata mais votada em 5 de outubro foi Marina Silva, que agora apoia, junto com a família Campos, Aécio Neves. O tucano, por sua vez, conquistou 284 mil votos no Estado 5,92% do total, muito menos do que os 2,1 milhões recebidos por Dilma, que teve 44,22%. 
Mas são os 2,3 milhões de votos de Marina que estão em disputa e podem fazer a diferença no resultado da eleição nacional. A própria Marina e todas as forças que deram suporte à candidatura do PSB no Estado declararam apoio a Aécio, o que teoricamente amplia muito o potencial de voto do tucano. Mas, sem segundo turno para governador, os maiores institutos de pesquisa não fizeram levantamentos registrados em Pernambuco e cientistas políticos afirmam não ser possível precisar o potencial de transferência de votos de Marina, da família Campos ou do PSB local.
Com 6,3 milhões de eleitores, Pernambuco é o segundo maior colégio eleitoral do Nordeste, atrás da Bahia e pouco à frente do Ceará. Nas últimas eleições, as figuras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pernambucano de nascimento, e de Eduardo Campos estiveram do mesmo lado e o PT conseguiu vitórias expressivas no Estado. Para o domingo, tanto PT quanto PSB avaliam que Dilma deve sair vencedora na disputa no Estado, as divergências são o quanto Aécio pode crescer na comparação com o primeiro turno.
"Esta eleição não está contaminada pela eleição estadual. A figura do Campos está menos presente porque Aécio não é alguém que ele chancelou pessoalmente como candidato, como foi o Paulo Câmara e a própria Marina", avalia o cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas Marco Antônio Carvalho Teixeira. "Não se sabe o potencial de transferência para o Aécio neste novo contexto", pondera.
Uma das principais lideranças do PT pernambucano, o senador Humberto Costa aposta na pouca ligação do candidato tucano com o Estado e no fato de não haver segundo turno na disputa pelo governo local para frear o crescimento de Aécio. Segundo ele, sem uma campanha para governador, o eleitor será menos influenciado por lideranças políticas, o que seria benéfico para Dilma. "Não vai ser o prefeito, governador ou o senador que vai definir o voto do eleitor. As pessoas querem votar a partir dos seus pontos de vista", defende Costa, que aposta que Dilma vá conquistar cerca de 65% dos votos válidos.
Senador eleito pelo PSB no Estado, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho diz que seu partido pretende dar uma votação expressiva a Aécio. Em entrevista, ele contou que espera que Aécio alcance pelo menos 40% dos votos válidos. Mas diz que, "do jeito que os institutos de pesquisa estão", o tucano pode até ficar "no zero a zero" ou vencer por pouco. Recém-eleito, ele admite porém que será mais difícil transferir votos para Aécio do que foi para Marina. "É mais difícil porque nunca fizemos aliança com o PSDB a nível nacional, mas existe todo um sentimento de mudança e de colocar Pernambuco com protagonismo neste momento em que o País pode iniciar um novo ciclo político" defende.
Tanto a projeção petista quanto a do PSB colocam a Dilma à frente no Estado. Por outro lado, também apontam Aécio conquistando mais votos de Marina do que a adversária, Dilma. 
Professor da Universidade Federal de Pernambuco, o cientista político Ernani Carvalho diz que o desempenho de Aécio vai por à prova a força do PSB local em uma disputa mais difícil do que a estadual. "Se for uma eleição apertada, mesmo se a Dilma aparecer à frente, será uma vitória de Aécio. E do PSB local, com as novas lideranças dessa era pós-Eduardo", explica Ernani.
Opinião parecida tem Marco Antônio Carvalho Teixeira, para quem o Estado pode ser um "decisivo" para o tucano na difícil situação que se desenha no Nordeste. "Para Aécio, Pernambuco é um ganho, não está na conta dele. O que ele conseguir a mais lá, é lucro. Se ele cresce lá, ele pode estar dando um passo decisivo para vencer a eleição", completa.
Militância
Nas ruas do Recife, o clima é de rivalidade. Derrotada pelo PSB nas disputas locais, a militância do PT voltou às ruas no segundo turno para apoiar Dilma Rousseff. "A candidatura do Armando Monteiro não empolgou a militância do PT. No segundo turno, talvez pelo acirramento, a militância acordou e foi para a rua. Isso tem gerado disputa", revela Ernani Carvalho.
Desde a morte de Eduardo Campos, muros foram pichados com acusações ao PT. "O PT matou Eduardo" e "Fora PT" são algumas das frases. Neste segundo turno, as acusações se estenderam à prima de Campos, vereadora Marília Arraes, que apoia o PT e vinha em rota de colisão com ex-governador morto.

FONTE: JC ONLINE

Conheça a biografia de Aécio Neves

FONTE: WIKIPÉDIA

Aécio Neves da Cunha (Belo Horizonte10 de março de 1960) é um economista e político brasileiro, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Foi odécimo sétimo governador de Minas Gerais entre 1º de janeiro de 2003 a 31 de março de 2010, sendo senador pelo mesmo estado. Aécio é o candidato de seu partido àpresidência do Brasil na eleição de 2014.
Natural de Belo Horizonte, Aécio é graduado em economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. É neto do ex-presidente Tancredo Neves, com quem adquiriu suas primeiras experiências políticas. Em 1987, iniciou o seu primeiro mandato como deputado federal pelo estado de Minas Gerais, exercendo o cargo até 2002, totalizando quatro mandatos. Presidiu a Câmara dos Deputados no biênio de 2001-2002, renunciando ao cargo em dezembro de 2002.
Aécio foi eleito governador de Minas Gerais em 2002. Como governador, teve bons índices de aprovação e foi reeleito na eleição de 2006, tendo desta vez a maior votação já registrada no estado. Renunciou ao cargo de governador em março de 2010, a fim de concorrer ao senado federal, sendo substituído pelo seu vice, Antônio Anastasia. Nas eleições de 2010, foi eleito o senador com a maior votação do Estado. Assumiu o cargo em 1º de fevereiro de 2011 e, em 2013, foi escolhido presidente nacional do PSDB.

Biografia

Aécio Neves da Cunha é filho do político Aécio Cunha e de Inês Maria. Aécio nasceu em uma família de políticos tradicionais mineiros. Seu avô materno, Tancredo Neves, foi personagem fundamental na redemocratização do país, governador de Minas Gerais e presidente do Brasil por via indireta (colégio eleitoral), tendo morrido antes de assumir o cargo.1 Do lado paterno, seu avô Tristão Ferreira da Cunha e seu pai, Aécio Cunha, foram deputados federais por Minas Gerais.2 É descendente deportugueses e austríacos3
Aécio se mudou para o Rio de Janeiro aos dez anos de idade, para acompanhar os pais. Teve a primeira experiência profissional no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) do Ministério da Justiça do Rio de Janeiro.4

Primeiros anos ao lado do avô

Aécio como secretário-particular do avô materno, Tancredo Neves, no Governo de Minas Gerais.
Em 1981, Tancredo convidou Aécio para participar de sua campanha eleitoral para o Governo de Minas Gerais. Aécio transferiu os cursos de administração que fazia no Rio de Janeiro e se mudou para a capital mineira, onde dividiu um apartamento com o seu avô materno e seu pai.5 6 Ele participou de reuniões e comícios em mais de trezentos municípios do Estado. Tancredo foi eleito governador e, em 1983, Aécio passou a ocupar o cargo de secretário particular do avô. Nos anos seguintes, participou do movimento "Diretas Já" e da campanha de Tancredo à presidência da República.
Aécio acompanhou Tancredo em visitas a países democráticos, estratégia política utilizada para reforçar a transição da democracia no Brasil. Eles estiveram com Ronald Reagan, presidente dos Estados Unidos; François Mitterrand, presidente da França; Sandro Pertini, presidente da Itália; Bettino Craxi, primeiro-ministro da Itália; Rei Juan Carlosda Espanha e o Papa João Paulo II. Ele foi nomeado pelo presidente Tancredo como secretário de Assuntos Especiais da Presidência da República. Com a morte de Tancredo e a posse do vice-presidente José Sarney, Aécio e todos os ministros e assessores nomeados por Tancredo renunciaram, para que o novo presidente pudesse escolher livremente a composição de seu gabinete. Aécio então foi nomeado diretor da Caixa Econômica Federal.

Deputado federal

Aécio representou Minas Gerais na Câmara dos Deputados por quatro mandatos. Ele foi eleito pela primeira vez nas eleições de 1986, quando concorreu para a Assembleia Nacional Constituinte pelo PMDB. Ele teve 236 mil votos, tornando-se o deputado federal mais votado de Minas Gerais até então.7 Ele foi reeleito em 1990,1994 e 1998.8
Durante a Constituinte ele foi vice-presidente da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher e foi um dos autores da emenda que instituiu o direito de voto aos dezesseis anos.9 10 Em seu segundo mandato (1991-1995), votou a favor do impeachment do presidente Fernando Collor de Melo.11 Em 1992, ele concorreu à prefeitura de Belo Horizonte, mas foi derrotado. Essa foi sua única derrota eleitoral até hoje.12 No seu terceiro mandato (1995-1999), foi eleito presidente do PSDB mineiro. Em 1997, tornou-se o líder do partido na Câmara.13
Entre seus trabalhos como parlamentar na Câmara, destaca-se a criação do "Pacote Ético", que acabou com a imunidade parlamentar para crimes comuns; o Conselho de Ética da Câmara e o Código de Ética e Decoro Parlamentar.14

Presidente da Câmara dos Deputados

Aécio ocupou o cargo de presidente da Câmara dos Deputados entre 14 de fevereiro de 2001 a 17 de dezembro de 2002. Ele concorreu ao cargo contra Aloizio Mercadante (PT-SP), Inocêncio Oliveira (PFL-PE),Valdemar Costa Neto (PL-SP) e Nelson Marquezelli (PTB-SP).15 Ele foi eleito com mais votos que a soma de todos os outros candidatos, tendo 283 votos, contra 117 de Inocêncio, 81 de Aloizio, 21 de Valdemar e 3 de Nelson.16 Como presidente da Câmara, assumiu interinamente a presidência da República em 26 de junho de 2001.17
Seu mandato ficou marcado por medidas que deram mais transparência às atividades da Câmara, como a disponibilização das votações dos projetos de lei na internet.18 Nesse período a Câmara promoveu o chamado Pacote Ético, um conjunto de medidas voltadas para moralizar a atuação parlamentar. Aécio coordenou a votação do fim da imunidade parlamentar para crimes comuns, a criação do Código de Ética e Decoro e da Comissão de Ética.19 Também disponibilizou a tramitação e as votações dos projetos de lei na internet para que o cidadão pudesse acompanhar a tramitação do processo legislativo.20 Com o objetivo de aproximar a Câmara da sociedade, Aécio também instituiu a Ouvidoria Parlamentar, responsável por encaminhar ao Tribunal de Contas da União, à Polícia Federal ou ao Ministério Público denúncias de irregularidades apontadas pela população.21

Senador

Aécio durante um pronunciamento na tribuna do Senado Federal em 25 de junho de 2013.
Em 31 de março de 2010, Aécio renunciou ao cargo de governador para poder concorrer ao Senado Federal.22 Foi eleito em 3 de outubro do mesmo ano com 7 565 377 votos (39,47%), juntamente com o ex-presidente Itamar Franco.23 Aécio foi o terceiro senador mais votado em 2010, sendo superado apenas por Aloísio Nunes e Marta Suplicy, eleitos por São Paulo. Foi o sexto proporcionalmente mais votado do país.24 Ele também conseguiu eleger o seu sucessor para o governo de Minas Gerais, Antônio Anastasia.25
Como parlamentar, tem defendido a elaboração de um novo pacto federativo; o fortalecimento da ação parlamentar, com a restrição ao uso das medidas provisórias; a redução de impostos; transformar o Bolsa Família em uma política de Estado;26 a ampliação dos direitos dos trabalhadores domésticos; o direcionamento de 10% da receita do governo federal para a área de saúde; a mudança no cálculo usado para pagamento dos royalties da mineração. Dentre sua iniciativas, está a articulação de um acordo suprapartidário para fortalecer o Poder Legislativo e alterar as normas para edição e tramitação de medidas provisórias (MPs) no Congresso Nacional.27
Aécio faz oposição ao governo de Dilma Rousseff, juntamente com nomes expressivos da política nacional, como Cássio Cunha LimaÁlvaro DiasAloysio Nunes FerreiraPedro SimonRandolfe RodriguesPedro Taques e outros. Em abril de 2011, apontou os "Caminhos da Oposição" e definiu três pilares no papel da oposição: ''coragem, responsabilidade e ética''.28 Em 21 de fevereiro de 2013, no mesmo dia em que o Partido dos Trabalhadores fez um ato comemorando os seus dez anos no governo federal, ele fez um discurso no Senado Federal enumerando os "13 fracassos" do partido durante os dez anos de gestão.29 30

Eleição para governador em 2002

Em junho de 2002, o governador Itamar Franco desistiu de concorrer à reeleição. Itamar não quis disputar a vaga de candidato do PMDB com Newton Cardoso.31 Os deputados federais e estaduais do PSDB escolheram Aécio para disputar o cargo de governador.32 Aécio, porém, preferia concorrer a uma vaga ao Senado.32 Aécio decidiu então candidatar-se ao cargo de governador de Minas Gerais. Itamar declarou apoio a Aécio em 18 de junho de 2002.33
A coligação de Aécio foi composta por nove partidos, e teve como candidato a vice-governador Clésio Andrade (PFL), presidente da Confederação Nacional do Transporte.34 Os principais concorrentes de Aécio foram o deputado federal Nilmário Miranda, do PT, e o ex-governador Newton Cardoso, do PMDB.35
Todas as pesquisas realizadas mostravam Aécio em primeiro lugar. Na reta final da campanha, as pesquisas dos principais institutos mostravam uma grande diferença entre Aécio e o segundo colocado. Aécio também tinha os menores índices de rejeição e nas projeções de segundo turno venceria todos os candidatos.35
Em 6 de outubro de 2002, Aécio foi eleito governador de Minas Gerais já no primeiro turno, sendo o primeiro governador a ser eleito em primeiro turno na história do estado.36 Ele teve 5 282 043 votos (57,68%), a maior votação da história do estado até então.37 36 O segundo colocado foi Nilmário, com 2 813 857 votos (30,73%), seguindo por Newton Cardoso com 612 732 votos (6,69%). Os outros candidatos tiveram cerca de 5% dos votos.37

Eleição para governador em 2006

Aécio Neves ao lado do governador de São PauloGeraldo Alckmin, da ex-governadora do Rio Grande do Sul,Yeda Crusius, e do ex-governador e ex-prefeito de São PauloJosé Serra.
Em 28 de março de 2006, Aécio anunciou sua candidatura à reeleição.38 Ele disse que levaria adiante um projeto nacional que visaria um maior "equilíbrio na federação", declarando que "esse movimento pelo equilíbrio da federação vai ficar muito forte, vai desaguar no Estado que estiver mais unido. Temos agora a unidade histórica de Minas, que vai tentar exercer um papel de liderança. Não sei onde isso vai desaguar, vamos ver quem estará mais forte".38
Desde o início da campanha, devido a sua alta popularidade, Aécio foi considerado um candidato "quase imbatível".39 A coligação de Aécio recebeu o nome de "Minas Não Pode Parar" e foi composta por dez partidos, e teve como candidato a vice-governador Antonio Anastasia, também do PSDB. Ele recebeu o apoio do ex-presidente Itamar Franco, de artistas como Fafá de Belém e músicos do Skank e do Jota Quest.39
Aécio visitou 53 municípios durante a campanha, mas não compareceu a debates.39 A sua vitória no primeiro turno já era dada como certa por muitos analistas políticos, mesmo antes dele atingir a faixa dos setenta por cento das intenções de votos.39 Ele manteve um bom relacionamento com as lideranças petistas, principalmente com o presidente Lulae com o prefeito de Belo HorizonteFernando Pimentel.40 Isso fez com que denúncias de corrupção fossem ignoradas durante a campanha. Apesar disso, o candidato petista declarou várias vezes que o déficit zero era uma "farsa".39
Na votação realizada em 1º de outubro, Aécio foi reeleito governador de Minas Gerais com 7 482 809 de votos (73,03%), seguido por Nilmário Miranda, que obteve 2 140 373 votos (22,03%).41 Ele alcançou a segunda maior votação percentual do país para o cargo, sendo superado apenas por Paulo Hartung.42 Na eleição presidencial, Aécio apoiou Geraldo Alckmin, que não foi eleito presidente e perdeu para Lula em Minas Gerais nos dois turnos.43 44

Governador de Minas Gerais

Posse de Aécio como governador de Minas Gerais em 1º de janeiro de 2003.
Em 1º de janeiro de 2003, Aécio tomou posse como governador de Minas Gerais, sucedendo Itamar Franco. Aécio Neves foi reeleito governador de Minas Gerais em 2006, e tomou posse em 1º de janeiro de 2007. Permaneceu no cargo até 31 de março de 2010, quando renunciou para se candidatar a uma vaga no senado.45 Foi sucedido pelo vice-governador Antônio Anastasia. Ao todo, ficou 7 anos, 2 meses e 30 dias no cargo, tornando-se o governador a permanecer mais tempo no Palácio da Liberdade.
Quando governador contratou 98 mil servidores públicos sem concurso.46
Durante seu governo, Minas Gerais pagou o teto salarial para os professores.46 O salário-base dos médicos em Minas era de R$ 1.050,00, o segundo mais baixo do Brasil.47

Choque de Gestão

Um dos principais pontos de seu governo foi o chamado "choque de gestão",48 que visa à redução de despesas, a reorganização e modernização do aparato institucional do Estado, implementando novos modelos de gestão. O "choque de gestão" propõe um envolvimento de todos os órgãos e entidades do Poder Executivo Estadual, com o objetivo de melhorar a qualidade e reduzir os custos dos serviços públicos do estado.49 50
"Os primeiros resultados foram espetaculares e todos em Washington ficaram bem impressionados."
John Briscoe, diretor do Banco Mundial51
A médio e longo prazo, o "Choque de Gestão" contempla a obtenção de resultados baseados na qualidade e na produtividade, mediante critérios de incentivos que induzam o maior comprometimento dos atores responsáveis, através da meritocracia.49 Ele também prevê o investimento na capacitação do servidor público do Estado e a adoção de novos modelos de parcerias público-privadas que possibilitem a oferta de melhores serviços aos cidadãos.50
No Choque de gestão houve o fim da escala de pagamentos. Os salários voltaram a ser pagos em dia, assim como o décimo-terceiro salário, o que não acontecia desde 1989. Foi promovida a implantação dos Planos de Carreiras e foram liberados R$ 100 milhões em verbas retidas (direitos dos servidores que não eram pagos havia muito tempo).52
Em 2005, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) liberou o empréstimo para o Governo de Minas Gerais. O Banco Mundial ofereceu ao Estado um empréstimo em contrapartida ao choque de gestão.53
Enquanto alguns críticos políticos tendem ao negativismo, diversos especialistas e muitas publicações brasileiras de circulação elevada e comprovada fizeram extensas reportagens mostrando a realidade positiva do novo modelo de administração em Minas Gerais afirmada pelos seus partidários, mas questionada inclusive pela estatística oficial do governo.54 Um dos principais formuladores dessa política, o professor Vicente Falconi, tornou-se cada vez mais procurado para aplicar o método do Choque de Gestão em outras esferas da administração pública, inclusive pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.55

Cidade Administrativa Tancredo Neves

Aécio visitando obras da Cidade Administrativa Tancredo Neves.
Cidade Administrativa Tancredo Neves, construída para ser a nova sede do Governo de Minas, foi inaugurada por Aécio em 4 de março de 2010.56 A data foi escolhida para homenagear Tancredo Neves, pois marcava o centenário de nascimento do ex-presidente.57 O conjunto de cinco prédios projetado por Oscar Niemeyer fica no terreno do antigoHipódromo Serra Verde, no bairro Serra Verde, em Belo Horizonte.58 59
A Cidade Administrativa concentra em um único local todos as secretarias e órgãos públicos estaduais, bem como seus 16 300 servidores, gerando uma economia prevista de R$ 92 milhões por ano.60 61 Sua localização também visa promover o desenvolvimento da região Norte de BH e municípios vizinhos, atraindo investimentos públicos e privados e criando mais oportunidades para melhorar a qualidade de vida da população.62 63
Com 265 mil metros quadrados de área construída, o complexo inclui o Palácio Tiradentes, onde fica o gabinete do governador; dois edifícios para as Secretarias e demais órgãos; um centro de convivência com restaurantes, lojas e bancos; um auditório com 490 lugares; helipontos e estacionamento para cinco mil vagas.63 O acesso à Cidade foi facilitado por outra obra de igual importância para a configuração urbanística de BH, a Linha Verde.63
A obra foi orçada inicialmente em R$ 550 milhões, mas custaram R$ 1,7 bilhão.60 As obras não utilizaram recursos do tesouro estadual, mas da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais(Codemig),64 uma estatal abastecida com royalties das mineradoras, que só pode investir em obras de infraestrutura.63

Contas públicas

Aécio recebe o diretor do Banco Mundial (Bird) para o Brasil e para o Caribe John Briscoe, 9 de dezembro de 2008.
Quando assumiu o governo, em janeiro de 2003, Minas tinha R$ 5 bilhões em dívidas com fornecedores e um déficit orçamentário de R$ 2,3 bilhões de reais.65 O primeiro passo feito por Aécio foi o de proibir gastos e, posteriormente, implementou uma estratégia para zerar o déficit.65 Oito medidas tomadas deram uma economia de R$ 1 bilhão ao governo de Minas: o número de secretarias do Estado foi reduzido de 21 para 15, resultando na extinção de 1 326 cargos de confiança; funcionários não efetivados foram demitidos; serviços terceirizados foram reduzidos; houve cortes de gratificações; foram reduzidas em 17% as despesas do executivo com compras, combustíveis e serviços; eliminação de salários duplicados ou indevidos e pensões indevidas; realização de leilões para compra de produtos e serviços, que resultaram na redução de 23% nos preços; renegociação de dívida com fornecedores de leilões; redução dos salários do governador, do vice-governador e dos secretários, passando de R$ 19 000 para R$ 10 500; e a informatização dos controles de despesas e da folha de pagamento.65 Também foram aprovadas alterações na Constituição estadual com o objetivo de evitar que o déficit de recursos crescesse novamente.65 Um dos primeiros resultados desse conjunto de medidas foi pagar o décimo terceiro integral do funcionalismo dentro do prazo previsto por lei em 2003.65
Depois de quatorze anos em dívida, o governo federal reconheceu o equilíbrio das contas do Estado e autorizou o governo de Minas Gerais a voltar a captar recursos no exterior em 2005. Em maio de 2008, o Banco Mundial aprovou um financiamento de US$ 976 milhões para o Estado, dentro de sua nova estratégia de parceria com o Brasil. O financiamento é a maior operação de empréstimo do banco a um estado federado, sem exigir contrapartida financeira. Nesse caso, a contrapartida consistia em 24 metas estipuladas em programas sociais do governo de Minas, em áreas como educação, saúde, gestão e desenvolvimento econômico.66
Em 2006, o governo pagou as dívidas de precatórios trabalhistas atrasadas do estado, quitando o valor de R$ 292,08 milhões entre 2003 a 2006.67 68 69 70

Educação

Aécio implementou, desde 2003, novos projetos e programas para a educação. Minas Gerais foi o primeiro estado do Brasil a colocar as crianças de seis anos de idade na escola, garantindo um ano a mais no ensino fundamental da rede pública.71 Em 2005, foi criado o programa Aluno em Tempo Integral, que atende mais de 105 mil alunos.72 Também foi criado o projeto Escola Viva, Comunidade Ativa, que apoia escolas em áreas urbanas, com população carente. O programa atendeu mais de 450 mil alunos.73 74 O estado de Minas Gerais possui a melhor educação fundamental do Brasil, segundo o Ideb, do governo federal. A nota média obtida por alunos mineiros chegou ao nível de países desenvolvidos.72

Desenvolvimento social

Jovens de Sabará beneficiados pelo Poupança Jovem.
Entre os programas sociais, o governo de Aécio apresentou resultados expressivos no Projeto de Combate à Pobreza Rural (PCPR), desenvolvido com financiamento de US$ 70 milhões do Banco Mundial, dividido em duas parcelas iguais.75 O projeto abrange 188 municípios situados em áreas de mais baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado.75 O objetivo é a melhoria da renda e da qualidade de vida da população rural.76 São as próprias comunidades que se organizam e definem suas prioridades.76 Os projetos vão desde a construção de creches ao estabelecimento de associações de artesanato ou de piscicultura.76 O PCPR iniciou em 2006, e até junho de 2008, foram assinados 1 283 convênios no valor de US$ 28 milhões, beneficiando 74,6 mil famílias.77 78
O programa Poupança Jovem foi lançado em março de 2007, com a meta de atender até 2010, cinquenta mil alunos do ensino médio da rede estadual que vivem em áreas de maior risco social.79 Cada um desses estudantes receberá, ao final do terceiro ano do ensino médio, uma poupança de R$ 3 mil.79 Para receber o dinheiro, os jovens devem assumir uma série de compromissos relativos ao desempenho escolar, como frequência e aprovação, e ao comportamento pessoal.79 Eles não podem, por exemplo, se envolver em ocorrências policiais e devem prestar serviços comunitários.79 Os estudantes são engajados em atividades extracurriculares culturais e profissionalizantes e recebem acompanhamento de psicólogos e assistentes sociais.79 O programa oferece aulas de inglês, informática e qualificação profissional.80

Segurança pública

Aécio durante solenidade de promoção de soldados a cabos daPolícia Militar (PMMG) e do Corpo de Bombeiros (CBMMG), 2 de abril de 2004.
Em 2003, foi criado o "Programa de Controle de Homicídios Fica Vivo".81 Esse programa atende anualmente, em média, 13 000 pessoas de 12 a 24 anos em situação de risco social, residentes em áreas de maiores índices de homicídios em Belo Horizonte e cidades da sua região metropolitana e do interior.82 Nas regiões que abrange, os índices de homicídios caíram 50%.81 A base do programa são as oficinas de esporte, cultura, inclusão produtiva e comunicação para afastar os jovens da criminalidade.82
O governo estadual contratou por meio de concurso público novos policiais civis, militares e Corpo de Bombeiros. Em 2003, o número de novas viaturas para as polícias civil e militar e Corpo de Bombeiros subiu de 7 068 para 13 072. Foi criada a Guarda Penitenciária, com aumento em 400% no número de agentes penitenciários entre 2003 e 2009. No total, o efetivo de segurança em Minas Gerais passou de 49 400, em 2003, para 60 832 em 2009.83
Em janeiro de 2009, o governo estadual inaugurou o Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade, que foi construído em Vespasiano.84 85 Esse é o primeiro presídio do país a abrigar detentas grávidas e seus bebês.86
A criminalidade violenta caiu 36% em todo o estado entre 2003 e 2008.87 A diminuição desse índice é mais significativa em Belo Horizonte (menos 52%) e sua região metropolitana (menos 51%).87 Nesse mesmo período, o governo do Estado destinou para a segurança pública cerca de R$ 22 bilhões.87

Saúde pública

O governo de Aécio criou o programa Pro-Hosp, que regionaliza a saúde pública em Minas Gerais, distribuindo os investimentos em todas as regiões. Foram mais de R$ 470 milhões distribuídos em 108 municípios mineiros.88
Em outubro de 2003, foi criado o programa Rede Viva Vida, um programa de redução da mortalidade infantil e materna em Minas Gerais. A meta desse programa é a redução da taxa de mortalidade infantil em 25% e a diminuição da razão de morte materna em 15%. Para viabilizar o programa foram criados os centros "Viva Vida" e as Casas de Apoio à Gestante.89 Houve queda na mortalidade infantil, de 17%, de 2003 a 2008, passando de 17,6 para 14,6 mortos por mil nascidos vivos.90 91
Foram implementadas duas mil novas equipes do PSF através do programa Saúde em Casa, totalizando 4 009 equipes, além da construção, ampliação e reforma de 1 634 UBS - Unidade Básicas de Saúde e compra de 997 veículos.92
Também foi criado o programa Farmácia de Minas, com a estruturação do sistema básico de saúde, para a entrega de remédios de atenção primária. Em valores, de 2003 a 2009, foram R$ 2,06 bilhões em medicamentos distribuídos.93 Posteriormente, o programa começou a fazer a entrega em domicílio para portadores de doenças crônicas.94

Transportes

Um dos principais projetos do governo Aécio na área dos transportes foi o Programa de Pavimentação de Ligações e Acessos Rodoviários (Proacesso). Iniciado em 2004, com recursos próprios e financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento, o programa prevê o asfaltamento do acesso de 225 municípios que possuíam ligação por estrada de terra.95 Em 2010, prazo estimado de conclusão, o Proacesso totalizou 5 572 km de acessos pavimentados, beneficiando 1,9 milhão de pessoas.96 Os objetivos principais do programa são, por meio da melhoria da infraestrutura dos municípios, auxiliar o desenvolvimento econômico e social das cidades beneficiadas e melhorar a qualidade de vida das populações ao facilitar seu acesso a serviços e mercados regionais.96
No fim de 2005, começaram as obras da Linha Verde, com a finalidade de iniciar o processo de crescimento e desenvolvimento da região metropolitana de Belo Horizonte.97 As obras, que foram concluídas em 2008, beneficiaram o eixo norte de Belo Horizonte e também dez municípios da região metropolitana da capital do estado.97

Aprovação do governo

Aécio liderou o ranking de avaliação dos governadores feito pelo Datafolha em dezembro de 2007,98 em março e em dezembro de 2009.99 100 De uma escala de 0 a 10, sua nota foi de 7,0 em julho de 2006,101 7,7 em março de 2007,98 7,6 em março de 2009 e de 7,5 em dezembro de 2009.99 100 Sua aprovação ao deixar o governo do Estado foi de 92%, sendo que 76% consideraram seu governo como ótimo ou bom.102

Campanhas presidenciais

Eleição presidencial em 2010

Aécio com Serra e Anastasia durante a campanha de 2010.
Aécio esperava ser o candidato a presidência da República por seu partido na eleição presidencial em 2010. Segundo a revista Época, ele teria sido convidado em 2009 peloPMDB para ser o candidato de Lula à presidência do Brasil. O governador do Rio de JaneiroSérgio Cabral, teria feito força para que isso acontecesse. Aécio preferiu esperar e não se separar do seu partido, pois esperava contar com o apoio dele para se candidatar no lugar de José Serra.103
Aécio declarou que sua prioridade em 2010 seria eleger o vice-governador Antônio Anastasia como seu sucessor.104 Por diversas vezes, negou a possibilidade de formar uma chapa "puro-sangue" encabeçada por Serra.105 106 Em novembro de 2009, Aécio apresentou suas propostas caso fosse escolhido como o candidato do partido.105 Um mês depois, diante da hesitação do PSDB e de Serra em posicionar-se como candidato, Aécio declarou que se lançaria ao Senado Federal nas eleições de 2010.107 108
Aécio foi recebido com entusiasmo no lançamento da pré-campanha presidencial de Serra em Brasília.109 Durante a campanha eleitoral, ele compareceu a eventos e fez campanha para Serra.110

Eleição presidencial em 2014

Aloysio Nunes, senador por São Paulo, é o candidato a vice-presidente na chapa de Aécio.
Em dezembro de 2012, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso lançou Aécio como pré-candidato do PSDB à presidência em 2014.111 Como na eleição de 2010José Serrae Aécio travaram uma disputa interna pelo apoio do partido pela candidatura à presidência.112 Com a desistência de Serra em dezembro de 2013, Aécio tornou-se o único pré-candidato do partido.113 Ele foi oficializado como candidato em 14 de junho, durante a Convenção Nacional do PSDB.114 Seu candidato a vice foi anunciado em 30 de junho, sendo escolhido Aloysio Nunes, senador por São Paulo.115
Aécio divulgou até agora como principais propostas: recuperação da credibilidade financeira do país com a melhoria no ambiente de negócios e aumento da produtividade;116reduzir o número de ministérios;117 aumento da eficiência e planejamento no setor público através de choque de gestão;118 a manutenção e melhoria de programas como Bolsa-Família e Mais Médicos;119 o combate pleno a corrupção e compromisso com a ética pública;120 educação de qualidade como direito básico de cidadania;121 segurança pública como responsabilidade nacional;122 mais autonomia para estados e municípios;123 retomada de pautas ligadas a preservação do meio ambiente e sustentabilidade;124 e reforma tributária.125 Também comprometeu-se a encaminhar ao Congresso Nacional uma proposta de reforma política com fim da reeleição, mandatos de cinco anos, fim do voto de legenda e instituição do voto distrital.126
No dia 5 de outubro de 2014, Aécio foi para o segundo turno com a candidata pelo PTDilma Rousseff. Ele obteve 34.883.244 votos, cerca de 33,5%.127

Presidente Nacional do PSDB

Em 18 de maio de 2013, Aécio foi eleito presidente nacional do PSDB, substituindo o deputado federal Sérgio Guerra. A convenção que o elegeu, com 97,3% dos votos, foi uma das maiores da história do partido, com mais de quatro mil presentes.128 Como presidente do partido, ele foi o protagonista do programa partidário do PSDB exibido em setembro de 2013.129 Neste programa, Aécio falou sobre a inflação, problemas de infraestrutura e de obras inacabadas, e sobre as manifestações populares ocorridas em 2013.129
Em setembro de 2013 Aécio Neves e o Instituto Teotônio Vilela, organização de estudos e formação política do PSDB, lançaram o Portal Social do Brasil. O Portal contém informações de 81 projetos sociais nas áreas de juventude, infância, educação, saúde, pobreza, assistência social, emprego, habitação, segurança alimentar, prevenção e combate às drogas, mulheres, idosos e pessoas com deficiência implantados pelos governos estaduais e prefeituras administrados pelo PSDB.130 131

Vida pessoal

Aécio e a irmã Andréa Neves da Cunha em 17 de agosto de 2009.
Aécio com a filha Gabriela em março de 2010.
Aécio é casado com Letícia Weber.132 Ela nasceu em 1979 em Panambi, no Rio Grande do Sul, e foi modelo.133 Eles se conheceram em 1999, e se casaram em 9 de outubro de 2013 em uma cerimônia com poucos convidados, que foi feita no apartamento da mãe de Aécio no Rio de Janeiro.133 Em 17 de janeiro de 2014, Aécio anunciou que Letícia estava grávida.134 Os gêmeos Julia e Bernardo nasceram prematuramente em 8 de junho.135 Ele também foi casado com a advogada Andréa Falcão entre 1991 a 1998.136 Eles tiveram uma filhaː Gabriela Falcão Neves, nascida em 1991.137
Nas eleições de 2010, Aécio declarou ao Tribunal Superior Eleitoral ter um patrimônio de R$ 617 mil.138 Na sua prestação de contas para as eleições de 2014 declarou ter um patrimônio de R$ 2,4 milhões.139 Segundo Aécio, o aumento se deve pelo recebimento da herança de seu pai, falecido em 2010.139
Em abril de 2011, Aécio se recusou a fazer o teste do bafômetro e teve a carteira de habilitação apreendida em uma blitz da Lei Seca no Rio de Janeiro.140 A carteira de habilitação foi apreendida por estar vencida.140 Segundo os policiais, Aécio foi liberado por não apresentar sinais de embriaguez.140 Sua assessoria informou que o bafômetro não foi realizado e que ele não sabia que a carteira de habilitação estava vencida.141

Prêmios e honrarias

Aécio foi considerado pela revista Época como um dos 100 brasileiros mais influentes em 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013.142 Como deputado federal e senador, foi eleito um dos "Cabeças do Congresso", lista produzida pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap).143 144

Honrarias nacionais

FitaHonraData
Medalha Ulysses Guimarães29 de outubro de 2013145

Honrarias internacionais

FitaPaísHonraData
Legion Honneur Commandeur ribbon.svg FrançaComendador da Ordem Nacional da Legião de Honra13 de novembro de 2008146 147

Ver também

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...