terça-feira, 9 de julho de 2013

RODOVIÁRIOS SÃO DEMITIDOS APÓS O FIM DA GREVE

Os motoristas e cobradores atingidos pela medida se reuniram no Ministério do Trabalho na manhã desta terça / Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Os motoristas e cobradores atingidos pela medida se reuniram no Ministério do Trabalho na manhã desta terça

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Apesar de o acordo que pôs fim à paralisação dos rodoviários ter garantido que os grevistas não iriam ser demitidos, 22 funcionários da Empresa Borborema perderam seus empregos nessa segunda-feira (8). Os motoristas e cobradores atingidos pela medida estão reunidos no Ministério do Trabalho, na Avenida Agamenon Magalhães, Zona Norte do Recife, na manhã desta terça (9). Eles discutiram a legalidade das demissões com um mediador público, que convocou um representante da empresa a comparecer ao ministério e negociar com os profissionais ainda nesta terça. Procurada pela reportagem, a Borborema não confirmou as demissões. Segundo a empresa, o quadro de pessoal não sofreu alterações nos últimos dias.
"Há um acordo entre patrões e empregados, feito no Ministério do Trabalho no fim da greve, que determina somente a demissão dos vândalos. Esses profissionais não participaram de atos de vandalismo, mesmo assim a empresa não explicou o motivo da demissão. Queremos saber por que eles perderam seu emprego", afirma Roberto Torres, da Central Única de Trabalhadores (CUT). Segundo Torres, alguns dos demitidos não chegaram nem a sair de casa durante a paralisação. Outros foram trabalhar, mas participaram dos momentos de parada coletiva nos terminais integrados. No total, foram demitidos cinco cobradores e 17 motoristas. Dos cinco cobradores, quatro são mulheres e uma delas está grávida.
Os rodoviários souberam da decisão quando chegaram ao trabalho na segunda-feira. Depois, entraram em contato com o mediador do Ministério do Trabalho Mário Cesar, que participou da reunião entre patrões e rodoviários no sábado. O mediador convidou os demitidos para conversar nesta terça, Roberto Torres está com eles e carrega o acordo assinado entre os presidentes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) e do Sindicato dos Rodoviários. Por volta das 9h30, após uma hora de reunião, Mário Cesar convocou um representante da Borborema para negociar com os profissionais e explicar as demissões. O representante deve comparecer ao Ministério ainda nesta terça-feira. Os rodoviários aguardam a chegada do patrão no local.
OPOSIÇÃO - A oposição ao Sindicato dos Rodoviários, a CSP/CONLUTAS, na sua página no Facebook, alerta para o risco das demissões. O movimento pede que qualquer caso de desligamento das empresas seja comunicado aos representantes da oposição, para que o acordo seja cumprido e os trabalhadores não percam seus direitos. Chegou-se até a dizer que as demissões podem ser respondidas com novas paralisações. 

Fonte: UOL Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...