segunda-feira, 7 de outubro de 2013

SANTA CRUZ VENCE BRASILIENSE E SE GARANTE NAS QUARTAS-DE-FINAL DA SÉRIE C



Renan comemora gol no priemiro tempo. Foto: Edmar Melo/ JC Imagem O primeiro passo foi atingido. O Santa Cruz, mesmo cheio de desfalques, jogou bem e venceu o Brasiliense, dentro do Arruda, por 2 x 0. O zagueiro Renan Fonseca e o lateral-direito Oziel foram os autores dos gols. A vitória representa muito mais do que os três pontos para a Cobra Coral. Simbolizam a passagem do time pernambucano para a segunda fase da Série C. O Tricolor, com o resultado, é o primeiro classificado do grupo A, com uma rodada de antecedência. Agora, só faltam duas etapas para o sonho de retornar à segunda divisão nacional. Nunca esteve tão perto.


O Santa Cruz começou o jogo muito aceso. Motivado pela chance de cse classificar e pela presença forte dos torcedores, o time tricolor iniciou o duelo a mil por hora. Faltou um pouco de organização (até pela quantidade de desfalques), mas sobrou disposição. Até por conta disso, conseguiu exercer a tradicional pressão dos mandantes nos primeiros 15, 20 minutos de jogo. As chances de gol nem foram tão numerosas, mas o volume e a predominância territorial foram enormes.
Tanto que o placar foi aberto logo aos 15 minutos. Antes do gol, foram várias bolas alçadas na área. Uma delas haveria de dar certo - e deu. Luciano Sorriso cobrou escanteio com categoria. O zagueiro Renan Fonseca subiu mais do que todo mundo e cabeceou com forçara para o gol. Um a zero: festa da torcida coral. O primeiro susto aconteceu logo em seguida. Aos 17, falta na intermediária para o Brasiliense. O desvio de cabeça no meio da área quase surpreende Tiago Cardoso. A bola, no entanto, passou ao lado do gol. Bem perto.
O Jacaré precisava sair para o jogo. Por conta disso, adiantou um pouco a marcação e conseguiu mostrar alguma evolução. Se não conseguiu ser realmente perigoso, ao menos teve mais posse de bola e arriscou algumas jogadas ofensivas. A maioria delas por meio de bola aérea. A única bola com real potencial de virar gol aconteceu no final do primeiro tempo: aos 43. Depois de escanteio, Tiago Cardoso saiu mal e quase levou o gol. Oziel, ao lado da trave, evitou o pior.

Foto: Edmar Melo/ JC Imagem
O Santa Cruz voltou com uma mudança para o segundo tempo: Natan sentiu uma lesão e teve de ser substituído. Renatinho foi o escolhido para substituí-lo. O Brasiliense também mexeu: saiu Gleidson, amarelado, e entrou Peninha. O futebol dos dois não mudou muito, porém. O Tricolor começou melhor. Nos cinco primeiros minutos, chegou com mais força do que o adversário. A melhor delas foi aos cinco.
Éverton Heleno, depois de escanteio, disputou no alto e ganhou no chão. Tentou o chute de primeira, mas a bola passou por cima do gol do Brasiliense.Até os 20, o Santa Cruz - sem chegar com muito perigo- foi melhor. A partir daí, o Brasiliense melhorou um pouco - mais na base da necessidade do que da qualidade. O técnico Roberto Fonseca mexeu mais duas vezes, o que acabou sendo decisivo depois: colocou Laécio e Luquinhas, estourando seu limite de substituições.
Aos 30, o zagueiro do Brasiliense sentiu e não pôde continuar. O Santa Cruz ficou com um a mais e passou a administrar inteligentemente o resultado. Mas aí o atacante Siloé fez bobagem: deixou o braço no rosto de Baiano e acabou expulso aos 36. Não foi um problema tão grande porque logo depois o árbitro mandou para fora o lateral-esquerdo Jorge Henrique para fora do campo por falta em Caça-Rato.
O Brasiliense pareceu entregar os pontos. O Santa Cruz, não. Aos 41, grande oportunidade. Panda recebeu dentro da área, carregou e soltou o pé. A bola bateu no travessão e desceu. Aos 45, Renatinho também desperdiçou chance de matar o jogo de vez. Recebeu sozinho de frente para o goleiro Welder e bateu. Mal. Em cima do arqueiro. Aos 47, no entanto, o lateral-direito Oziel não perdoou. Recebeu dentro da área e bateu cruzado. Sem chance para Welder: Dois a zero. Festa e comemoração para a Cobra Coral.
Ficha do Jogo

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Tiago Costa (Panda); Ramirez (Dedé), Luciano Sorriso, Éverton Heleno e Natan (Renatinho); Caça-Rato e Siloé. Técnico: Vica
Brasiliense: Welder; Bocão, Eli Sabiá, Luan e Jorge Henrique; Júlio Bastos, Baiano, Everton (Luquinhas) e Gleidson (Peninha); Jefferson Maranhão (Laécio) e Washington. Técnico: Roberto Fonseca.
Local: Estádio do Arruda
Horário: 19h
Árbitro: Paulo H Godoy Bezerra (SC)
Assistentes: Celso Barbosa de Oliveira (SP) e Marco Antônio de Melo Moreira (GO)
Gol: Renan Fonseca (15 do 1ºT) e Oziel (aos 47 do 2ºT)
Cartões amarelos: Gleidson, Júlio Bastos (Brasiliense)
Cartão vermelho: Siloé (Santa Cruz); Jorge Henrique (Brasiliense)
Renda: R$ 531.241,00
Público: 38.780

Fonte: Blog do Torcedor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...