domingo, 18 de novembro de 2012

NÁUTICO PERDE DE VIRADA PARA O SÃO PAULO NO MORUMBI


Rogério Ceni, cobrando pênalti, fez o gol da vitória do São Paulo, sobre o Náutico. Foto: Wander Roberto/Vipcomm/Divulgação.
Ainda não foi desta vez que o Náutico conseguiu a sua segunda vitória fora de casa neste Brasileirão. E também não foi desta vez que o Timbu quebrou o tabu de nunca vencer o São Paulo no Morumbi. Mesmo abrindo o placar no ínicio do segundo tempo, numa bela cobrança de falta do volante Souza, a equipe não conseguiu segurar o ímpeto do Tricolor paulista e acabou saindo de campo amargando a derrota,  de virada, por 2x1. Os gols dos donos da casa foram marcados por Luís Fabiano e Rogério Ceni, cobrando pênalti.
Com o triunfo, o time do técnico Ney Franco se mantém na quarta colocação, com 62 pontos. O Timbu somou sua segunda derrota consecutiva, ficando na 13ª posição, com 45 pontos. Na próxima rodada, o Timbu encara o Bahia, em Pituaçu, enquanto o São Paulo pega a Ponte Preta, em Campinas.

O JOGO
Nos primeiros 45 minutos de partida, São Paulo e Náutico deixaram a desejar. Na verdade, as duas equipes fizeram um duelo chato. De um lado, o Timbu que foi a campo com o propósito de atuar fechado. Do outro, o São Paulo, que buscou o jogo, mas não teve poder de penetração na área adversária. Resultado: o 0x0 não saiu do placar na primeira etapa do jogo.

O São Paulo foi a campo com três jogadores ofensivos: Osvaldo, Luís Fabiano e Lucas. E ainda havia o meia Jádson, que ganhou liberdade para chegar à frente. No entanto, na prática, a equipe teve dificuldades para fugir da marcação alvirrubra. O principais lances aconteceram em chutes de fora de área, especialmente dos pés de Lucas. Quando a bola não ia para fora, Felipe estava atento para fazer a defesa.

O Náutico fez o que se esperava: fechou-se na defesa. A equipe alvirrubra não deu espaços para o São Paulo trabalhar a bola no meio de campo. No entanto, não teve presença ofensiva. A equipe praticamente não engatou contra-ataques. O único lance em que a bola chegou nas mãos do goleiro Rogério Ceni, aconteceu numa cobraça de falta do zagueiro Jean Rolt, que alçou a bola na área e camisa 1 do Tricolor segurou sem dificuldades.

No segundo tempo, o São Paulo perdeu o zagueiro Rafael Tolói, que deixou o gramado contundido. Edson Silva entrou no seu lugar e viu o Náutico chegar com velocidade no ataque e abrir o placar, aos três minutos. Kieza é lançado e é derrubado por Rodolfo. Na cobrança, Souza manda à bola no canto direito, sem chances para Rogério.

O gol deu mais confiança ao Timbu. O time parecia mais tranquilo em campo, tocando mais a bola e esperando o São Paulo ir ao ataque para contra-atacar. No entanto, o Náutico não conseguiu roubar a bola, muito menos valorizar a posse. São Paulo voltou a ter o domínio do jogo e, mesmo não mostrando um futebol brilhante, conseguiu o empate aos nove minutos.

O goleiro Felipe repôs a bola de forma equivocada, Osvaldo aproveitou, invadiu a área pela esquerda e chutou. A bola foi cortada por Alemão, mas sobrou para o próprio Osvaldo, que cruzou na cabeça de Lúis Fabiano, que mandou para as redes.

A torcida fez a festa. E ficou ainda mais feliz com a entrada de Paulo Henrique Ganso, no lugar de Jádson, aos 11 minutos. O São Paulo cresceu na partida, martelou o Náutico, que voltou a se encolher em campo. De tanto insistir, os donos da casa conseguiram a virada. Aos 25 minutos, Luís Fabiano é derrubado na área por Alemão. Pênalti. Rogério Ceni cobrou bem e virou o placar.

Era o que São Paulo precisava para manter o ritmo de jogo com mais tranquilidade. O Náutico não conseguiu apresentar o mínimo de esforço para uma reação, enquanto o time do técnico Ney Franco tocava a bola, buscando o ataque. Mesmo assim, poucos lances de perigo aconteceram. Apenas dois mereceram registro: Osvaldo chutou e Felipe defendeu. Depois, Luís Fabiano dominou a bola na área e, na hora do chute, foi prensado por Jean Rolt. Foi o último lance perigoso da partida.

Ficha técnica

São Paulo - Rogério Ceni, Paulo Miranda, Rafael Tolói (Edson Silva), Rodolfo (A) e Cortez, Denilson, Wellington e Jádson (Ganso); Osvaldo (Cícero), Luís Fabiano e Lucas. Técnico: Ney Franco.

Náutico - Felipe, Patric, Alemão, Jean Rolt e Douglas; Alisson, Josa, Souza (Reis) e Rhayner; Kieza e Rogério (Kim). Técnico: Gallo.

Local: Estádio do Morumbi, São Paulo. Árbitro: Wagner Reway (MT). Assistentes: Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA). Gols: Souza, aos 3 minutos, Luís Fabiano, aos 9, e Rogério Ceni, aos 25 minutos do segundo tempo. Cartões amarelos: Alemão, Jean Rolt, Douglas Santos, Josa, Rhayner, Kieza, Kim, Rodolfo, Luiz Fabiano e Wellington. Público: 62.207. Renda: R$ 1.429.237,00.

Fonte: Blog do Torcedor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...