terça-feira, 30 de outubro de 2018

Mesmo perdendo, PT insiste no erro

A eleição de 2018 marcou o fim de um ciclo petista. Se em 2016 o partido saiu do poder por causa do impeachment da presidente Dilma Rousseff, nesse ano, agora a saída do partido foi confirmada pela vontade popular. Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito presidente do Brasil e assumirá a cadeira no dia 01 de janeiro de 2019.

Mas o PT insiste em algo que sempre fez em toda sua trajetória. Terceirizar culpas. Isso, a vítima agora é Ciro Gomes (PDT), candidato derrotado no primeiro turno, e que foi acusado por petistas de "ficar em cima do muro" e ajudar na vitória de Bolsonaro e derrota do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

Mas quando vemos o histórico recente, não é bem assim. No primeiro turno, o PT conseguiu enfraquecer a candidatura de Ciro. O ex-governador do Ceará, a princípio, teria apoio do PSB e do PCdoB, mas o PT conseguiu retirar esses dois da base dele. Lula lançou-se candidato, mas como foi impedido pelo TSE por estar preso, o partido resolveu insistir erradamente na candidatura própria e lançou Haddad.

O PT tinha direito de lançar candidato? Sim. Mas a questão é se esse era o momento. O partido está ainda na memória de muitos brasileiros como associado à corrupção (embora saibamos que existam outros partidos até mais corruptos). Esse era o momento de fortalecer outra candidatura, e quem sabe em 2022, se lançasse na disputa presidencial.

Ciro Gomes acabou tendo sua candidatura enfraquecida por conta dessa manobra do PT. No segundo turno, denunciou Jair Bolsonaro pelo impulsionamento de fake news, mas na realidade, foi vítima do próprio veneno, uma vez que o PT usou a mesma fábrica de mentiras contra Marina Silva, em 2014. Para aqueles que não queriam Bolsonaro, restou para muitos votarem num partido que muitas vezes criticou. Quando não se votou nulo. E ainda se espanta o número alto de abstenções votos brancos e nulos, o que somado aos próprios votos de Haddad, foi maior do que a votação do Bolsonaro.

No segundo turno, várias pessoas votaram em Bolsonaro - mesmo não se identificando com ele - por que não queriam mais uma vez o PT no poder. O partido segue com sua sede pelo poder, mas se esquece de combinar com o povo brasileiro. Ciro Gomes era o único candidato, que em todas as pesquisas apresentadas no primeiro turno, se apresentava bem na frente de Bolsonaro em um provável segundo turno entre os dois. O PT, com isso, conseguiu a façanha de impedir duas pessoas de chegar à Presidência quando elas tinham chances reais: Marina Silva em 2014 e Ciro Gomes em 2018. Com a diferença que em 2014 ainda comemorou uma vitória suada contra Aécio Neves, mas em 2018 afundou junto no mesmo barco.

Bolsonaro ganhou por apoio popular, pelo forte apelo. Mas se tem alguém que também ajudou muito a vitória do Bolsonaro foi o próprio PT.

Um comentário:

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...