quinta-feira, 6 de março de 2014

Morre aos 66 anos o deputado federal Sérgio Guerra

Foto: Clemilson Campos/Arquivo/JC Imagem
Foto: Clemilson Campos/Arquivo/JC Imagem
ATUALIZADA ÀS 12h05
O deputado federal Sérgio Guerra (PSDB) faleceu na manhã desta quinta-feira (6) em São Paulo, aos 66 anos. Guerra, que era presidente do PSDB de Pernambuco, estava internado há mais de 20 dias no Hospital Sírio Libanês.  A assessoria nacional do partido, do qual ele já foi presidente, divulgou uma nota afirmando que o motivo do falecimento teria sido um câncer no pulmão. Por meio de nota, o Hospital informou que o falecimento ocorreu em decorrência de um quadro infeccioso. O velório está previsto para começar por volta das 11h desta sexta-feira (7) na Assembleia Legislativa de Pernambuco, no Recife, quando chegará o corpo do parlamentar. O corpo será cremado às 16h, no Morada Paz, no município vizinho de Paulista, numa cerimônia fechada à família.
Segundo informações apuradas pelo Blog de Jamildo, Sérgio Guerra o câncer que se espalhou do pescoço para a cabeça. Desde que ele foi internado pela última vez, o deputado estava entubado e não houve nenhuma melhora. O quadro teria se agravado por uma pneumonia. O suplente que assume no lugar de Sérgio Guerra é André de Paula (PSD).
Leia também: Sérgio Guerra é o segundo assunto mais comentado no Twitter
Natural de Recife, o deputado era economista, pecuarista e escritor. Guerra ocupou o mandato de deputado federal entre os anos de 1995 e 2003, quando foi eleito Senador da República. Guerra retornou à Câmara dos Deputados em 2011. No final do ano passado, Guerra conduziu o PSDB de Pernambuco para a base do governador Eduardo Campos (PSB).
Sérgio Guerra era diabético e perdeu um rim aos 12 anos. Há seis anos, o deputado extraiu parte do intestino delgado. O deputado formou-se em economia no ano de 1969 pela Universidade Federal do Pernambuco (UFPE), especializando-se em economia internacional na Universidade de Harvard, EUA, em 1970.
Desde 1981, o deputado foi filiado a quatro partidos políticos: PMDB, PDT, PSB e PSDB, no qual ele estava desde 1999. Guerra assumiu a presidência nacional do partido em 2007. Ele coordenou as campanhas presidenciais tucanas de Geraldo Alckmin, em 2006, e de José Serra, em 2010.
O governador Eduardo Campos se solidarizou com o falecimento de Guerra. “A perda de Sergio Guerra nos entristece profundamente. Convivo com ele há mais de trinta anos, desde que, muito jovem, comecei a trabalhar com Dr Arraes, que tinha nele um amigo e um aliado de todas as horas. Formos colegas de secretariado duas vezes e colegas de Parlamento em três mandatos, compartilhando momentos importantes da vida brasileira, mais próximos em determinadas situações, mais afastados em outras, mas sempre mantendo a capacidade do diálogo e o desejo do entendimento que constrói dias melhores para o país e para o nosso povo. Em meu nome pessoal, da minha família e do povo pernambucano, expresso minhas condolências aos familiares e amigos deste pernambucano que lutou todos esses anos para a construção de um Pernambuco melhor e de um Brasil mais justo”, divulgou em nota.
Por meio de nota, o senador Armando Monteiro (PTB) afirmou que o Estado perdeu um político de dimensão nacional. “Pernambuco perde um político de dimensão nacional. Sérgio Guerra sempre revelou atributos de liderança e grande capacidade de articulação. Quero neste momento apresentar a toda a sua família a expressão de meu pesar e solidariedade”, afirmou o senador.
Já o senador Humberto Costa (PT) lembrou da família do deputado federal. “Sempre mantive com Sérgio Guerra uma relação de cordialidade e respeito. Minhas condolências a família e os amigos nesta hora difícil”, escreveu no Twitter.
Presidente do PSDB do Recife, a vereadora Aline Mariano declarou que o partido perdeu um dos seus maiores líderes nacionais. “Ele fez o PSDB em Pernambuco. Foi o principal responsável por construir o partido no Estado. Pessoalmente, perdi um grande amigo”, disse.
Já o prefeito Geraldo Julio (PSB) destacou o trabalho de Guerra como secretário estadual, cargo que ele ocupou diversas vezes. “No último Governo Arraes pude testemunhar a capacidade política e de gestão de Sérgio Guerra. Como secretário de Indústria e Comércio, ele viabilizou o maior aporte de investimentos federais feitos no Porto de Suape até então. Anos depois, como presidente do PSDB, soube exercer sua forte liderança sem nunca fechar as portas para o diálogo com os demais partidos”, afirmou em nota.
O senador José Agripino Maia se manifestou em nome do Democratas. “O Democratas manifesta profundo sentimento de perda pelo falecimento de Sérgio Guerra, valor inestimável de combatividade e espírito público.Pernambuco e o Brasil vão sentir muita falta do sempre presidente Sérgio Guerra”, disse
Por meio do Twitter, os deputados estaduais Daniel Coelho e Terezinha Nunes manifestaram solidariedade ao deputado federal. “É uma grande perda para todos nós. O PSDB, Pernambuco e o Brasil vão sentir sua falta”, escreveu Daniel. “Um grande líder do PSDB que dirigiu o partido e o conduziu de forma exemplar”, afirmou Terezinha.
Na mesma rede social, o também deputado estadual Betinho Gomes deixou um recado de pesar. “Lamento profundamente a morte do grande líder tucano Sérgio Guerra. Perdi um companheiro de partido e amigo”, escreveu.
Vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira (PCdoB) lembrou como amigo do deputado tucano. “Lamento a morte do deputado Sérgio Guerra. Atuamos juntos na bancada de oposição na Assembleia Legislativa entre 1983 e 1987 e fomos sempre amigos”, disse.

FONTE: BLOG DE JAMILDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...