quarta-feira, 12 de setembro de 2012

DATAFOLHA: GERALDO JÚLIO LIDERA; DANIEL JÁ AMEAÇA HUMBERTO; MENDONÇA CAI


DE RECIFE
A terceira pesquisa Datafolha sobre a sucessão em Recife, divulgada nesta quarta-feira (12), mostra o candidato do PSB, Geraldo Júlio, isolado em primeiro lugar, com 34% das intenções de voto.
Apoiado pelo governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, o socialista abriu 11 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, Humberto Costa (PT), citado por 23% dos eleitores.
O senador petista, que na pesquisa anterior, de 28 e 29 de agosto, dividia a primeira colocação com Geraldo Júlio, ambos com 29%, agora está em situação de empate técnico com Daniel Coelho (PSDB).
A candidatura tucana cresceu sete pontos percentuais, passando de 12% para 19% em duas semanas. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.
O ex-governador Mendonça Filho (DEM), que chegou a ocupar a segunda colocação, com 22% no primeiro levantamento, de 19 e 20 de julho, oscilou negativamente um ponto, passando de 9% para 8%, no quarto lugar.
Os candidatos Esteves Jacinto (PRTB), Edna Costa (PPL) e Roberto Numeriano (PCB) foram citados por 1% dos entrevistados cada um. Jair Pedro (PSTU) não pontuou.
Declararam que votariam em branco, nulo ou em nenhum deles 6% dos consultados. Não souberam responder 7%.
REJEIÇÃO
O Datafolha também consultou os eleitores sobre qual candidato eles não votariam. A rejeição a Humberto Costa, que há duas semanas era de 29%, cresceu para 38%.
Mendonça, que também era rejeitado por 29% no final de agosto, tem agora 36%. Daniel Coelho, com 18%, e Geraldo Júlio, com 17%, são os candidatos menos rejeitados, segundo o Datafolha.
Ainda de acordo com o levantamento, em um eventual segundo turno envolvendo o petista e o socialista, Geraldo Júlio teria 55% dos votos e Humberto Costa, 34%. Outros 7% disseram que votariam em branco ou nulo, enquanto 4% declararam estar indecisos.
Na simulação, 63% dos eleitores de Daniel Coelho e 51% de Mendonça disseram que votariam no candidato do PSB.
O Datafolha ouviu 959 eleitores em Recife, nos dias 10 e 11 de setembro. A pesquisa, encomendada pela Folha em parceria com a TV Globo, foi registrada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Pernambuco com o número PE 00106/2012.
CRISE PETISTA
Tucanos e democratas são adversários históricos do PT em Recife, partido que administra a Prefeitura de Recife há 12 anos.
O PMDB, controlado no Estado pelo senador Jarbas Vasconcelos, também integrava o bloco de oposição, mas este ano se aliou ao PSB, após os socialistas romperem a aliança com os petistas.
A ruptura, provocada pela interferência da cúpula petista na sucessão municipal, levou o PSB a lançar candidato próprio em Recife, agravando uma crise que já se estruturava com os problemas nas alianças em outras capitais, como Belo Horizonte e Fortaleza.
Quase desconhecido do eleitor e em sua primeira eleição, Geraldo Júlio foi escolhido por Eduardo Campos, para quem trabalhou como secretário de Planejamento e Gestão.
Na campanha, com mais recursos e tempo de propaganda na TV, o PSB adotou a estratégia de associar o perfil do candidato ao do governador, político mais popular do Estado.
Pressionado pela necessidade de evitar um confronto direto com Campos, que é aliado ao governo federal, o PT encontra dificuldades para defender a administração municipal.
Preterido pelo próprio partido na sua intenção de se candidatar à reeleição, o atual prefeito de Recife, João da Costa (PT), não declarou seu apoio a Humberto Costa.

Fonte: UOL Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...