quinta-feira, 19 de abril de 2018

O Peru do Cão Coxo chega a Taperoá (PB) - Terra de Ariano Suassuna


FOTOS DE ALEX GONÇALVES - CRÉDITO

O PERU DO CÃO COXO CHEGA A TAPEROÁ (PB)  - TERRA DE ARIANO SUASSUNA





Após a pré-estreia no mês de outubro na Caixa da Poesia no Museu do Cais do Sertão (Recife ) o Centro de Criação Galpão das Artes ( Limoeiro ) segue com outras apresentações  da comédia O Peru do Cão Coxo

Trata-se de uma obra do dramaturgo Ariano Suassuna neste sábado (21),  às 20h , na praça João Suassuna , no centro da cidade de Taperóa e o acesso será gratuito.

No primeiro contato com o público ( pré estreia em Recife ), a montagem teatral recebeu a apreciação dos familiares do escritor, através da esposa, filhas, sobrinha, netos e bisnetos.

Na trama, a preguiça é descortinada em um picadeiro de intrigas no Sertão de Taperoá, quando um poeta e sua esposa são alvo de uma dupla de trapaceiros. No elenco, estão Jadenilson Gomes, Charlon Cabral, Lucas Dias, Gaby Salles, Wíris Costa, Allan Victor, Dvson Alves e Thiago Freitas.

A direção de arte conta com as mãos de Thiago Freitas, enquanto o figurino, rico em retalhos, passaram pelas mãos dos costureiros Sivaldo Moura e Wellington Pereira .

Além da pré estreia na capital pernambucana, o espetáculo cumpriu uma temporada de três finais de semana em Limoeiro e retornou a Recife para cumprir mais uma apresentação, sendo esta no 19º Festival Recife do Teatro Nacional, no COMPAZ Escritor Ariano Suassuna.

Na criação do cenário e direção do espetáculo, Charlon Cabral ( arte educador ) mais uma vez voltou à cena.




SINOPSE

O espetáculo descortina a preguiça em um picadeiro de intrigas no sertão de Taperoá. Na farsa, o poeta Joaquim Simão  e  Nevinha,  sua  esposa,  são alvos dos trapaceiros Aderaldo Catacão  e  Clarabela, sem esquecer ainda a algoz Andreza.  A pseudo intelectual, Clarabela,  tem  um disfarçado  interesse  pela  poesia  de  Joaquim Simão  e  por  este  um escrachado desejo amoroso,  da  mesma  forma  que Aderaldo  investe também um escancarado caso amoroso por Nevinha. Sem sucesso nas investidas do coração, o ganancioso casal de ricos  acaba por ser ludibriado pela dupla formada por Cão Coxo e Cão Caolho que perde tudo que possui, inclusive o danado do peru.

PROPOSTA DE ENCENAÇÃO de Charlon Cabral
Respeitável público! Hoje tem espetáculo?
A resposta mais evidente que teríamos é: Tem sim, senhor!
E sem dúvida é nossa resposta.
Decifrar nossa brasilidade através do universo popular e erudito do Mestre Ariano Suassuna, nos deixa bastante esperançosos diante das ausências e negligências artísticas do momento. Como mestres de cerimônia de inúmeros circos esquecidos e espalhados por esse mundo de lona estrelada, ensolarada e também furada, trazemos a dramaturgia de Suassuna, mais precisamente “O Peru do Cão Coxo” da obra A Farsa da Boa Preguiça, para tornar-se o cerne de nosso mais profundo imaginário circense. Encontra-se representado por uma dramaturgia que nos reconecta com nossa dimensão popular nordestina, fez-nos erguer nossa lona decorada de “verdade” com bastante segurança artística. Daí em diante foi um salto para que o nosso picadeiro fosse montado. Comprometidos com a alegria circense, com a vibração e sotaque popular, com a sonoridade e a cor do nosso povo, estão eles, os intérpretes (artistas), prontos e ansiosos para estarem no centro do picadeiro dando corpo e vida ao nosso imaginário real.

ELENCO :
Jadenilson Gomes, Charlon Cabral, Lucas Dias, Gaby Salles, Dvson Alves,  Thiago Freitas, Wíris Costa e Alan Victor
Direção do espetáculo: Charlon Cabral
PRODUÇÃO: Centro de Criação Galpão das Artes - Limoeiro / PE
Direção de Arte:  Thiago Freitas
Costureiros: Sivaldo Moura, Wellington Pereira
CRIAÇÃO DE CENÁRIO : Charlon Cabral
HISTÓRICO DO GALPÃO DAS ARTES :

O Centro de Criação Galpão das Artes que fica localizado à rua Vigário Joaquim Pinto, nº 465, Limoeiro – Pernambuco, no agreste setentrional. A instituição existe há 17 ( dezessete ) anos e traz no seu currículo duas montagens teatrais de autoria de Ariano Suassuna, como: O Caso do Novilho Furtado e A Inconveniência de Ter Coragem . Esta última montagem além de ter percorrido as regiões norte, nordeste e sudeste do país chegou a cruzar o Atlântico aportando na Universidade de Coimbra, em Portugal. Atualmente, possui em seu repertório o espetáculo Histórias de Lenços e Ventos ( Ilo Krugli ) e uma série de contações de histórias dedicadas à infância e as ações do Ponto de Memória que concentra atividades com brinquedos populares tradicionais.
Na verdade, o Galpão das Artes como é conhecido surge da inexistência de um espaço planejado ao exercício das artes cênicas no ano de 2000. O referente espaço possui um  teatro com capacidade para 100 (cem) espectadores e 10 (dez)  atores .

Texto Galpão das Artes. 









PUBLICIDADE

Aventuras em uma selva de pedra: CAMINHOS TORTUOSOS www.caminhos-tortuosos.blogspot.com  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...