sexta-feira, 26 de agosto de 2011

JUSTIÇA ABSOLVE ACUSADA DE MATAR PAI AGRESSOR EM CARUARU

bsolvida por quatro votos a zero a dona de casa Severina Maria da Silva, de 44 anos. Ela era acusada de ser mandante do assassinato do pai Severino Pedro de Andrade, que a teria violentado desde os nove anos de idade por mais de duas décadas e com quem ela teria tido 12 filhos, cinco ainda vivos, dois deles portadores de deficiência mental.
A sentença foi proferida por volta das 14h de hoje pelo juiz Antônio Francisco Cintra. Em cumprimento à nova lei penal, os votos dos outros três hurados não foram divulgados para preservar o sigilo da votação. Ao todo, sete jurados participaram do processo, sendo quatro mulheres e três homens.
Só após o final da leitura da sentença Severina pôde finalmente abraçar os quatro filhos presentes à sessão, que começou por depois das 10h no Fórum Thomaz de Aquino, bairro de Santo Antônio. Unida, a família comemorou a decisão da Justiça.
Pela manhã foram ouvidas a ré e a testemunha de defesa Otília Maria da conceição, de 86 anos, irmã da vítima. A idosa contou que toda a família sabia do que acontecia com a sobrinha e tinha medo de denunciar Severino porque ele seria muito bruto e poderia se vingar dos familiares. “Sabia da tristeza de ela ser uma filha-esposa”, disse. A ré relatou toda a história, contou que ficou presa por um ano e seis meses e assumiu que mandou matar arma o pai com a mesma arma com que ele a ameaçava: uma faca.
A defesa usou o argumento de que a culpabilidade de Severina não pode ere julgada porque ela foi coagida moralmente e mantida como refém do próprio estado, no que se caracteriza como inexigibilidade de conduta diversa por coação moral e irresistível. O promotor da 4ª Vara José Edvaldo da Silva, disse que espera que a lei seja cumprida hoje e que, se condenada, a ré poder permanecer detida por 14 a 16 anos.
O crime, ocorrido em novembro de 2005, em Caruaru, Agreste do estado, seria o desfecho de uma história familiar trágica. O estopim, segundo ela, seriam os sinais de que Severino pretendia estuprar uma das filhas-netas. Com a suspeita, a acusada contratou dois homens para matar o pai. Pelo crime, a dona de casa pagaria R$ 800. O pai de Severina foi assassinado a golpes de faca dentro da própria casa, na Vila  Rafael. Na época, o crime chocou os moradores de Caruaru, mas com o tempo muitos que criticaram a ação de Severina passaram a vê-la como vítima. O caso seria julgado em Caruaru, mas o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) levantou suspeita acerca da imparcialidade do Conselho de Sentença (jurados).

Site da Rádio Liberdade de Caruaru.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Confirmadas as atrações do Bloco do Zé

 A espera chegou ao fim e as atrações do Bloco do Zé foram confirmadas. Além do Trio Asas da América e Bia Villa Chan, outra grande atração ...