quinta-feira, 26 de março de 2020

Presidente numa "sinuca de bico"

Apesar de uma tendência que está acontecendo no mundo de impedir a livre circulação de pessoas devido ao coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro deseja o oposto. Segundo o mandatário, as pessoas devem voltar a trabalhar, pois a economia corre sério risco. O presidente criticou os governadores que tomaram medidas duras para combater o coronavírus. Tal declaração foi dada durante pronunciamento feito na terça-feira (24).

Entretanto, as autoridades da saúde, bem como outros chefes de estado, defendem o confinamento como solução para pelo menos evitar que o coronavírus se propague mais forte e cause mais mortes. A posição defendida pelo presidente foi alvo de críticas até mesmo de aliados, como o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), que em seguida, rompeu com o presidente.

O presidente ainda tem culpado a imprensa  por segundo ele, provocar "medo" na população. O que muitos estão defendendo aconteceu na Itália, em fevereiro, que afrouxou a lei da quarentena. O resultado foi que o país europeu acabou superando a China em número de mortes. Só agora, com a quarentena imposta de vez, a Itália começa a diminuir - mesmo que um pouco - os casos.

Bolsonaro ainda com essa atitude, se coloca em uma sinuca de bico. Pois caso a quarentena seja mantida, atribuirão a ele a queda na economia - o que todo político teme, pois a economia foi a responsável principal pela derrubada de muitos governos, como Fernando Collor e Dilma Rousseff. Caso a quarentena seja afrouxada, poderão atribuir ao presidente a culpa pelos riscos assumidos pela população que vai sair da quarentena, já que a doença é contagiosa.

O tempo dirá qual resultado teremos depois de tudo isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Argentina é surpreendida pela Arábia Saudita na estreia na Copa do Catar

  A estreia da Argentina na Copa não poderia ter sido pior - ou poderia. A seleção que foi campeã do mundo em 1978 e 1986 levou 2x1 de vir...