sexta-feira, 19 de julho de 2019

Limoeiro, terra acolhedora

Neste mês que Limoeiro completa aniversário, não poderíamos deixar de registrar uma grande característica que tem a cidade. A de ser acolhedora, recebendo bem os "forasteiros", que vêm de alguma forma investir ou morar na cidade. O braço aberto da estátua do Cristo Redentor de um certo modo, simboliza a cidade que acolhe bem os que vieram de outras bandas.Não são poucos os vultos históricos, artísticos e jornalistas que vieram de outras cidades e que aqui conseguiram se destacar. Aqui citaremos algumas.

Começando por um exemplo mais recente, temos o saudoso radialista Carlos Alfeu, que era natural de São Luís, capital do Maranhão. Alfeu fez história na rádio limoeirense, sendo até hoje lembrado. "E é assim, é"... "Vamos botar o exército na fronteira" são alguns dos bordões mais famosos do saudoso radialista.

Quem também não nasceu aqui mas fez história aqui é o Dr. José Barbosa de Souza, advogado e autor do Hino de Limoeiro. Curiosamente, ele não nasceu aqui, e sim, em Orobó. O Dr. Barbosa também fez história na política, sendo vereador e candidato a prefeito duas vezes (1976 e 2012).

Outro a ser citado é o professor Antônio de Souza Vilaça, que foi presidente da Câmara de Limoeiro, prefeito por nove meses, além de ser escritor e historiador, de leitura indispensável para conhecer a história de Limoeiro. Vilaça era natural de Lajedo, no Agreste Meridional, e chegou a residir em Nazaré da Mata antes de vir pra Limoeiro.

Quem também não nasceu aqui nas fez história aqui foi o Padre Adauto Nicolau Pimentel, natural de Orobó. Até mesmo líderes políticos que ditaram os rumos da nossa política durante anos não nasceram aqui. O Dr. Severino Pinheiro, que lançou o Coronel Chico Heráclio na política, era de Paudalho. Até mesmo o próprio coronel Francisco Heráclio do Rego não era natural daqui. Ele nasceu na cidade de Bom Jardim. Um dos maiores opositores ao heraclismo, o professor Agripino de Almeida, também nasceu fora daqui, na cidade de Vertentes. Curiosamente, o bom-jardinense Francisco e o vertentense Agripino batizam atualmente a sede do Poder Executivo (Prefeitura - Palácio Francisco Heráclio do Rego) e do Poder Legislativo (Câmara - Casa Professor Agripino de Almeida), respectivamente.

E até mesmo estrangeiros fizeram história por aqui. Que o digam José Fernandes Salsa (natural de Portugal), Padre Luís Checchin (natural da Itália) e Salomão Ginsburg (natural da Polônia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Artistas são convocados a "declarar seu amor" por Limoeiro. Falta a cidade corresponder a esse amor

  A Prefeitura Municipal de Limoeiro lançou a Mostra Cultural Virtual sobre Limoeiro, onde cada artista seja de qual área for, poderá se ins...