sábado, 14 de maio de 2016

Para barrar insegurança, Polo de Confecções do Agreste será monitorado por câmeras

Polo de Confecções do Agreste é considerado o segundo maior do País. Foto: JC Imagem
Polo de Confecções do Agreste é considerado o segundo maior do País. Foto: JC Imagem
Atormentados pela crise econômica e pelo aumento da violência, empresários do Polo de Confecções do Agreste, o segundo maior do País, começam a renovar as esperanças pelo aumento do movimento de vendas nos próximos meses. Após negociações, finalmente a Secretaria de Defesa Social (SDS) deve cumprir com a promessa de garantir mais segurança à área visitada por centenas de pessoas semanalmente.
Foi publicado no Diário Oficial dessa quarta-feira (11) o nome da empresa escolhida para ser responsável por fornecer, instalar e configurar um circuito fechado de TV – composto por câmeras de videomonitoramento, software, hardware e demais equipamentos para transmissão e armazenamento de imagens das vias públicas. Os profissionais que vão trabalhar no monitoramento da segurança dos comerciantes e clientes também devem começar a ser capacitados.
Com a instalação das câmeras, a SDS espera não só “espantar” os criminosos que atuam nas proximidades do Polo de Confecções do Agreste como também prender aqueles que mesmo ainda desafiam a polícia. A ação atende a um antigo pedido dos empresários.
Em outubro do ano passado, medidas para garantir mais segurança foram discutidas com o Batalhão da Polícia Rodoviária de Pernambuco.  Na época, os empresários solicitaram reforço policial para as estradas que dão acesso a Santa Cruz do Capibaribe, município localizado a 192 quilômetros da capital, já que era uma tendência o aumento considerável de visitantes por conta das comemorações de final de ano.

NE 10 INTERIOR

 http://jc.ne10.uol.com.br/blogs/rondajc/2016/05/13/para-barrar-inseguranca-polo-de-confeccoes-do-agreste-sera-monitorado-por-cameras/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coluna desta terça-feira - 16/04/2024

O PSDB, agora dirigido por Marconi Perillo, a nível nacional, tenta se colocar ainda no Brasil como uma opção viável fora da danosa polariza...