quinta-feira, 1 de fevereiro de 2024

Morre professora que foi arremessada de brinquedo no Mirabilandia


Morreu nesta quinta (1º) a professora Dávine Muniz Cordeiro, de 34 anos. 
 
Ela foi arremessada de um brinquedo do Parque Mirabilandia, em Olinda, em setembro do ano passado, e estava internada desde então. 
 
A morte dela foi confirmada pela família, em contato com a equipe do Diario de Pernambuco.   
 
Segundo os parentes, o enterro dela será realizado no Cemitério Parque das Flores, no Sancho, na Zona Oeste do Recife.  
 
Dávine sofreu graves ferimentos na cabeça e passou por dez cirurgias.
 
Ela foi levada, primeiro, para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, no Recife.

Depois, ficou internada no Hospital São Marcos, na mesma região. Por fim, teve que ser transferida para o Hospital da Hapvida, na Ilha do Leite, onde  morreu durante a madrugada. 
 
Em 11 de janeiro deste ano, os parentes de Dávine concederam uma entrevista, após a transferência para o Hapvida, e disseram que a "situação era considerada muito grave".
 
Ela perdeu praticamente quase a metade do lado direito do cérebro. E isso “comprometeu bastante”, segundo o primo dela, Ricardo Lima.
 
''O quadro dela continua gravíssimo. Ela não responde a nenhum estímulo, é possivelmente 99,9% de que seja irreversível’’, declarou, na época. 
 
O acidente de Dávine também ficou marcado por uma disputa jurídica entre a família dela e a administração do Mirabilandia. 
 
A família queria que o parque pagasse o tratamento; o Mirabilandia recorreu. Os parentes da professora chegaram a fazer uma arrecadação virtual para conseguir dinheiro. 
 
Procurada pelo Diario de Pernambuco, a assessoria de comunicação do Hapvida disse que "a operadora não pode compartilhar informações dos pacientes sem autorização da família e, neste caso, a família da paciente não autoriza. Toda comunicação a respeito dela é feita via familiares". 
 
O que disse o parque 
 
Por meio de nota, a  direção do Mirabilandia lamentou a perda de Dávine Muniz, "solidarizando-se com a família". 
 
Ainda segundo a empresa, "poucas palavras poderão representar o conforto neste momento, principalmente para quem sempre busca oferecer momentos de entretenimento e alegria. Que seja recebida com todas as honras na sua passagem deste nosso plano".
 
 
Inquérito 
 
A Polícia Civil informou que o inquérito ainda não foi concluído. Também disse que os delegados estão avaliando as circunstâncias para poder se pronunciar.  

Relembre o caso
 
Dávine Muniz caiu do brinquedo Wave Swinger, em setembro.
 
Ela esteve internada em hospital particular desde o dia 3 de outubro, após uma determinação da Justiça que ordenou que o Mirabilandia se responsabilize pelos custos do tratamento. 
 
O parque chegou a entrar com recursos para não custear a internação de Dávine, mas não teve o pedido acatado. 

O parque Mirabilandia voltou a funcionar no dia 2 de novembro, após passar 42 dias interditado por determinação do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). 
 
No dia da reabertura, o espaço não atraiu um grande público,  possivelmente por causa do Feriado de Finados.

O parque de diversões não oferece mais para o público a atração que deixou Dávine Muniz gravemente ferida. 
 
O Wave Swinger está no setor de manutenção do Mirabilandia e não há previsão para que volte a funcionar. No local, foi inserido outro brinquedo. 

Para voltar a funcionar, o parque precisou seguir as dez recomendações do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (CREA-PE).
 
Entre elas a apresentação de documentos de todos os brinquedos, inspeções individualizadas por equipamento assinadas por técnicos e especificação e detalhamento dos documentos sobre manutenção preventiva. 

POR DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Kátia Rodrigues fora da programação do São João de Limoeiro

Uma das maiores surpresas da divulgação da programação do São João de Limoeiro foi a exclusão da cantora Kátia Rodrigues da programação. Não...