quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Caso LIMOPREV agita a política em Limoeiro

Adversários políticos, o prefeito João Luís Ferreira Filho (PSB) e o ex-prefeito e atual deputado federal Ricardo Teobaldo (Podemos), estão divergindo mais do que nunca agora, sendo o assunto da vez o LIMOPREV, que será investigado por uma CPI e que tem uma dívida cujo parcelamento será votado na reunião da Câmara na próxima sexta-feira (02), através do Projeto de Lei 001/2018.

Ricardo Teobaldo negou que a sua gestão (2009-2014) tenha deixado qualquer débito. Disse que é favorável à CPI, se oferecendo até para depor, deixando de lado o foro privilegiado que tem direito por atualmente exercer o mandato de deputado federal. Ricardo ainda lembrou que foi ele quem regularizou as contas do município. Ricardo disse que é a favor do parcelamento, mas só depois que a CPI apontar a origem e os responsáveis pelo débito.

Joãozinho, no mesmo dia, convocou uma coletiva na Prefeitura, com a presença de imprensa, vereadores, padres, pastores, comerciantes, para falar sobre o mesmo assunto. Como este mesmo blog aqui contou ontem, o prefeito disse que caso o parcelamento seja rejeitado, o município ficará inadimplente, perdendo inclusive importantes obras. Até mesmo o São João pode ser prejudicado. O gestor reafirmou que o débito foi feito pela gestão anterior. O prefeito até lamentou a postura da oposição de "prejudicar Limoeiro com picuinhas políticas".

Para que o parcelamento seja aprovado, serão necessários 10 votos dentre os 15 vereadores. Acontece que a base de sustentação do prefeito Joãozinho tem 09 vereadores, e 06 estão na oposição, o que pode dificultar a aprovação do projeto. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Argentina é surpreendida pela Arábia Saudita na estreia na Copa do Catar

  A estreia da Argentina na Copa não poderia ter sido pior - ou poderia. A seleção que foi campeã do mundo em 1978 e 1986 levou 2x1 de vir...