terça-feira, 8 de março de 2022

Coluna desta terça-feira - 08/03/2022

 

No Dia Internacional da Mulher, vamos aqui abordar duas mulheres que têm se destacado muito no cenário político a nível de Pernambuco: Marília Arraes (PT) e Raquel Lyra (PSDB). A primeira era candidata ao governo de Pernambuco em 2018, mas foi rifada pelo grupo do senador Humberto Costa, que mostra com seu comportamento não tolerar Marília. Não fosse esse arrumadinho que beneficiou o PSB, muito provavelmente teríamos uma mulher no Governo de Pernambuco. Marília ainda foi candidata a prefeita do Recife em 2020, perdendo pra João Campos (PSB). Dizem as más línguas que Humberto, após não conseguir rifar a candidatura de Marília, trabalhou contra ela, sendo a favor do João Campos na surdina. Marília agora é pré-candidata ao Senado, mas provavelmente será rifada de novo. O mais curioso é que Marília, nas pesquisas, tem mostrado sempre muita força, liderando muitas delas, o que faz que os atos de Humberto Costa para rifar Marília do processo seja unicamente pessoal. 

Raquel, por sua vez, assim como Marília, já foi do PSB, e atualmente é um calo nos sapatos dos socialistas. Depois que teve negado pela legenda seu direito de se candidatar a prefeita, ela buscou abrigo no PSDB e acabou impondo uma derrota feia ao partido, que apresentou Jorge Gomes, que sequer foi pro segundo turno. Reeleita prefeita em 2020 em primeiro turno, Raquel busca agora o Governo do Estado. 

Ironicamente, ambas têm em comum terem pertencido ao ninho socialista, tendo deixado o PSB respectivamente ao terem suas candidaturas negadas: Marília, em 2014 para deputada federal, e Raquel, em 2016, para prefeita de Caruaru.. Agora ambas são calos dos socialistas e prometem dar muita dor de cabeça ao PSB. 

Ainda é pouco - Apesar de ser a maior parte da população mundial, a presença de mulheres na política ainda é relativamente pequena. A nível de Pernambuco, nosso estado jamais teve uma governadora, mas temos em Luciana Santos a primeira vice-governadora de nossa História. Na Presidência do Brasil, dos 36 ocupantes do Palácio do Planalto, tivemos apenas uma mulher: Dilma Rousseff. Esse problema não se resume ao Brasil: nos Estados Unidos, dos 45 ocupantes da cadeira presidencial na Casa Branca, nunca houve uma mulher. O máximo lá que uma mulher atingiu foi a vice-presidência, sendo a atual vice-presidente Kamalla Harris a primeira mulher no cargo. 

Mulheres em prefeituras - No Recife, jamais uma mulher foi prefeita. Atualmente, a capital tem sua primeira vice, a Isabela de Roldão. Olinda já elegeu duas mulheres para a Prefeitura: Jacilda Urquisa e Luciana Santos, que chegaram a polarizar a política na Marim dos Caetés na primeira década deste século. Caruaru atualmente tem em Raquel Lyra a primeira mulher a ocupar o Palácio Jayme Nejaim. Tais dados mostram que embora as mulheres tenham ocupado espaço em várias áreas, ainda falta avançar mais na política. Para quem duvida que a mulher possa exercer com maestria uma função política, Ângela Merkel, que exerceu por mais de 15 anos o cargo de chanceler na Alemanha, é o maior exemplo. A estadista deixou o poder em 2021, deixando saudades nos alemães.

Pergunta - Marília Arraes e Raquel Lyra estarão juntas? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vereador de Carpina se envolve em polêmica em Unidade Mista

  Um vereador de Carpina se envolveu em uma confusão na Unidade Mista Francisco de Assis Chateuabriand. O vereador Severino Borges da Silva,...